(Fonte da imagem: Reprodução/NASA)

Imagine em um futuro próximo realizar uma viagem de turismo espacial e ver a Terra de longe, como um todo, à sua frente. Pense na emoção da experiência, como resultado do conhecimento humano e da evolução tecnológica e científica. E por fim na beleza de olhar o nosso mundo por essa posição privilegiada.

Pois futuros turistas deverão conter suas emoções no espaço, já que uma das consequências da gravidade zero no corpo humano é impedir que as lágrimas escorram pelo rosto. O que acontece, na verdade, é que as gotas vão se acumulando nos olhos até ficarem grandes o suficiente para se desprenderem da retina. E, sem gravidade, elas ficam simplesmente flutuando ao seu redor.

Sabão nos olhos

Em maio de 2011, o astronauta Andrew Feustel teve um problema com uma gotícula de sabão que entrou no seu olho durante uma missão. O produto era um tipo de detergente usado para limpar os capacetes dos trajes espaciais. Um resto desse sabão sobrou no capacete e acabou atingindo o olho de Feustel durante a operação.

O astronauta relatou na época o incômodo que sentiu com o lacrimejamento do olho afetado, o que quase o impediu de completar a missão: “As lágrimas não escorrem dos olhos, elas meio que ficam por ali”, disse Feustel.

As lágrimas, nesse caso, que deveriam ajudar a eliminar a sujeira intrusa, tornaram-se um problema ainda maior que o sabão nos olhos. A irritação só não ficou pior porque o astronauta conseguiu utilizar um pedaço de espuma do capacete para secar as lágrimas em meio aos restos de detergente.

Ao infinito e além?

O caso chamou atenção dos cientistas para os imprevistos e os empecilhos da vida “fora de casa”. O espaço é um ambiente estranho ao homem e muitas consequências da experiência em gravidade zero sobre o corpo humano ainda precisam ser mais bem compreendidas.

Estudos da NASA revelaram que a falta de gravidade tem um efeito negativo para os olhos dos astronautas, com achatamento do fundo do globo ocular e a consequente redução do campo de visão. Essas consequências da viagem espacial foram detectadas até mesmo em astronautas que há muito tempo retornaram para a Terra.

Por essas e outras, o turismo espacial ainda deve ser uma atividade que precisa de mais estudos antes de ser viabilizada. O interessado em se aventurar pelo espaço precisa conhecer todas as restrições e consequências da vida em ambiente de gravidade zero.

Veja outras coisas que os astronautas não podem fazer no espaço, como comer pizza, rezar, namorar ou lavar roupa suja.

Cupons de desconto TecMundo: