Quem acompanhou a CES 2010 aqui pelo portal Baixaki sabe que uma das grandes atrações da maior feira de tecnologia foi o 3D. As televisões em terceira dimensão são a nova promessa do futuro, em conjunto com Blu-rays, câmeras digitais e outros aparelhos que acompanham a tendência.

Junte a isso a febre do filme “Avatar”, que já ganhou o Globo de Ouro, deve ganhar o Oscar e tem tudo para se tornar a maior bilheteria de todos os tempos para que a discussão sobre a tecnologia em três dimensões esteja cada vez mais na boca do povo.

Avatar é o filme mais visto em 3D

Este tipo de visão que necessitamos para ver 3D é chamada “visão binocular”. A projeção é feita através de duas imagens sobrepostas na tela e cada olho foca em uma das imagens projetadas para que a profundidade seja percebida.

Entretanto, não são todas as pessoas que conseguem enxergar esta maravilha. Estima-se que entre 4% e 10% da população mundial não possua a habilidade de enxergar em “estéreo”, como a maioria das pessoas.

De acordo com um estudo da Universidade de Valência, os números são ainda mais impressionantes. Em um ano de estudos clínicos (com 1679 pacientes entre 18 e 36 anos) foi constatado que 56% deles apresentavam algum tipo de sintoma de disfunção binocular.

Razões do problema

Razões dos problemas de visão binocularAqueles que não conseguem enxergar em 3D são chamados “stereoblinds”. Essas pessoas simplesmente não conseguem enxergar imagens em profundidade, o que faz que um filme como “Avatar” visto em tela 3D fique embaçado, sujo ou não mostre diferença em relação ao filme normal em 2D.

Isso ocorre devido à incapacidade dos dois olhos de trabalharem juntos. Indivíduos com estrabismo e ambliopia (olho vago ou preguiçoso) são aqueles que possuem maior tendência a desenvolver o problema, assim como pessoas que utilizam os olhos em sincronia, porém não o tempo todo. Isso quer dizer que, se os olhos não trabalharem em conjunto, nada feito.

Tendo em vista que a porcentagem de pessoas com este problema não é irrelevante, o que se pergunta é: com a revolução 3D, o que acontecerá com aqueles que veem o mundo de forma diferente?

Soluções

Infelizmente, para aqueles que possuem apenas um olho não existe solução, uma vez que é preciso que os dois olhos trabalhem para reconhecer imagens tridimensionais. Porém, se os dois olhos estão ali, porém só um pouco “dispersos”, há solução.

Em seu artigo sobre o assunto o Dr. Dan Fortenbacher, um optometrista de Michigan, comenta que este tipo de deficiência pode ser curada através de fisioterapias de visão. Veja a seguir dois exemplos de como estas terapias funcionam:

 

Entretanto, é importante reforçar que este tipo de terapia só deve ser feita com acompanhamento profissional e depois de uma avaliação extensa do problema que atinge cada um. Com isso, é possível que o indivíduo recupere a capacidade de sincronizar os olhos e assim, assistir a 3D sem nenhum problema.

Fortenbacher comenta que é preciso ficar de olho também nas crianças. Caso elas reclamem de visão embaçada, fora de foco ou sem nenhum efeito, vale a pena levá-la para uma consulta e conferir se há algo de errado com a visão, para que um tratamento seja recomendado.

Mas e as TVs 3D? O que fazer?

Apesar de muito se falar sobre 3D na CES 2010, nada foi comentado sobre as pessoas que possuem deficiência de visão para a tecnologia. É bom frisar que televisores 3D ainda não estão disponíveis para compra e, quando chegar ao mercado, trará preço salgado. Portanto, ainda há um bom tempo para adaptar-se à nova tecnologia.

As TVs 3D virão com tudo

O que é importante frisar, entretanto, é que uma boa televisão em três dimensões deve também ser uma boa televisão “normal”, ou seja, em duas dimensões. A ideia é que uma boa televisão 3D tenha a visão tridimensional como mais um requisito do sistema, assim como som estéreo ou surround.

Teoricamente, você deve ser capaz de desligar as opções 3D e ver os conteúdos criados especificamente para a terceira dimensão também em 2D, através da visualização de apenas uma projeção na tela. Você não deve observar tantas mudanças na qualidade da imagem, segundo os especialistas.

Agora o que resta é ficar de olho na saúde e consultar um bom médico, caso você tenha problemas para enxergar imagens em 3D. Não deixe também de compartilhar conosco suas ideias e experiências sobre o assunto. E que venha a nova tecnologia tridimensional.

Sites úteis sobre o assunto:

Conselho Brasileiro de Ótica e Optometria - http://www.cboo.org.br/

Conselho de Optometristas em desenvolvimento de visão (em inglês) - http://www.covd.org/

Site do Dr. Dan Fortenbacher (em inglês) - http://www.wowvision.net/

Cupons de desconto TecMundo: