Assim como nós, os arquivos também possuem algo que os identificam de maneira única. É o chamado hash, um código gerado por um algoritmo de dispersão a partir do conteúdo deles — ou informações como correio eletrônico, senhas, etc. Para se ter uma idéia, se um único bit for alterado, adicionado ou retirado do conteúdo original, será gerado um código completamente diferente. Além disso, é impossível retornar ao conteúdo do arquivo de origem a partir de um hash. Sendo assim, o uso dos hashes é um tanto limitado, contudo útil. Veja a seguir onde ele é empregado e como pode ser utilizado.

Arquivo também tem impressão digital!

Integridade de arquivos

Quem garante que um arquivo que você baixou é idêntico ao de origem? Uma pequena falha durante a transferência dos dados pode comprometer a integridade dele, fazendo com que a cópia não seja perfeita. Para conferir se isso aconteceu, basta gerar o hash do arquivo baixado e compará-lo com o do original, geralmente disponibilizado pelo site do download. Programas como Shareaza e uTorrent utilizam este recurso para garantir que um arquivo compartilhado por diversos usuários seja o mesmo.

Proteção de senhas

É óbvio que armazenar senhas no computador, sem qualquer tipo de codificação, é um prato cheio para um hacker de plantão. Por ser um código irreversível, é bastante prudente armazenar o hash das senhas ao invés delas próprias. Além de que, o processo para autenticar as senhas codificadas consiste em gerar o hash da senha informada pelo usuário e compará-lo com o armazenado no banco de dados. Um recurso simples que aumenta bastante a segurança de sistemas.

O hash também é empregado em assinaturas digitais, um método bastante confiável para a autenticação de informações, análogo à assinatura física em papel.

Como usar?

Para trabalhar com os hashes é necessária a utilização de programas específicos, adequados ao algoritmo que se deseja usar. O algoritmo mais comum é o MD5 e os seguintes programas trabalham com ele:

HashX: uma das ferramentas mais práticas da categoria, com interface agradável e suporte a nove algoritmos de dispersão.
HkSFV: gerador e verificador de hashes — SFV e MD5 — um pouco mais avançado que o anterior.
MD5SUM: utilitário incluso em sistemas Unix para verificar hashes MD5 por comando de linha.

Para usuários que querem apenas comparar hashes de arquivos, o HashX é o programa mais adequado. Confira a descrição dos programas citados acima no Baixaki para aprender a utilizá-los.

Cupons de desconto TecMundo: