(Fonte da imagem: Shutterstock)

É comum ver crianças evitando compartilhar brinquedos e outros objetos com seus coleguinhas. Pois a novidade agora é que essa não é uma característica de crianças mal-educadas. De acordo com uma pesquisa divulgada recentemente, parte desse comportamento é proveniente do estágio de desenvolvimento do cérebro da criança.

De acordo com a revista Scientifc American, as crianças que passam por essas situações sabem que estão agindo de maneira errada, mas mesmo assim não conseguem emprestar o brinquedo para o colega. Enquanto crianças, somos todos inerentemente egoístas, mas à medida que vamos crescendo acabamos nos tornando seres sociais que, além de querer satisfazer suas próprias necessidades, também agem de acordo com o que for mais aceitável em relação ao próximo.

Biologia não é desculpa para má educação

Para entender como isso funciona, o pesquisador Nikolaus Steinbeis, do Instituto de Ciências do Cérebro e de Congnição Humana Max Planck, de Leipzig, Alemanha, examinou crianças dos 6 aos 14 anos que passavam por um teste de tomada de decisão que envolvia o compartilhamento de valiosas fichas de pôquer com outras crianças desconhecidas.

Com base na pesquisa, foi possível perceber que, quanto mais jovens, menos generosas eram as crianças. E, de acordo com as imagens capturadas pelos sistemas de monitoramento cerebral, as crianças mais jovens foram as que menos apresentaram atividades nas regiões de controle de impulso, no córtex pré-frontal, parte do cérebro responsável pela tomada de decisão e autocontrole.

Entretanto, Steinbeis alerta que a descoberta não é desculpa para mau comportamento. “Não é porque o cérebro funciona dessa forma que ele não possa ser mudado. Educação e bons exemplos podem ser muito impactantes”, complementa o cientista.

Fonte: Scientific American

Cupons de desconto TecMundo: