Scott Hanselman, que se descreve em seu site como “diabético e funcionário da Microsoft”, publicou  uma lista de 15 ícones que, de acordo com ele, não fazem mais sentido. A maior parte dos desenhos usa como inspiração objetos ou tecnologias de décadas atrás, que hoje já são considerados extintos.

1. Salvar em um... disquete?

Que tal substituir o ícone do disquete pelo de uma nuvem? (Fonte da imagem: Scott Hanselman)

O primeiro exemplo, obviamente, é o ícone de “Salvar”, representado sempre por um disquete. Hanselman ironiza a situação, comentando que esse ícone é simbólico demais para uma geração que nunca sequer viu um disquete de verdade. “Por que não usam a imagem de um pendrive? Ou de uma nuvem?”, pergunta o consultor.

“Parecidos com os botões do rádio do carro...”

A inspiração dos populares "radio buttons" (Fonte da imagem: Scott Hanselman)

Houve uma época em que os rádios possuíam botões mutuamente exclusivos, ou seja, apenas um deles poderia se manter pressionado. Eles serviram como inspiração para um componente muito comum nas interfaces de software: os radio buttons, que assim como os originais, só permitem uma escolha de cada vez.

Colar com a prancheta

Pranchetas não parece um ícone muito intuitivo pra "Colar" (Fonte da imagem: Very Icon)

Alguém sabe explicar por que o ícone da função “Colar” é uma prancheta? Se pensarmos em consultórios médicos ou guardas de trânsito, essa imagem poderia muito bem representar “Copiar” ou “Preencher formulários”.

Marcador de livros

Será que os marcadores ainda são populares para servirem como ícones? (Fonte da imagem: Wikipedia)

Como bem disse Hanselman, usávamos filetes de árvores mortas para marcar o ponto em que  paramos na leitura de um texto impresso também em árvores mortas. Mas não faz mais sentido usar esse ícone como função para os favoritos de um navegador web. Talvez seja por isso que alguns browsers agora estão usando o ícone de um pequeno coração para simbolizar os bookmarks (ou Favoritos). Essa é uma boa notícia, principalmente agora, que a era dos livros digitais chegou para ficar.

Agendas e calendários

(Fonte da imagem: Scott Hanselman)

Convenhamos, agendas e calendários de papel são objetos do passado. Hoje, qualquer smartphone pode substituir com perfeição esses materiais. E houve um tempo em que as agendas eletrônicas também eram muito populares.

Mensagens de voz

O ícone da fita não parece o de uma caixa para filmes de 110 mm? (Fonte da imagem: Scott Hanselman)

Já faz décadas que deixamos de usar fitas magnéticas para gravar áudio e, portanto, o ícone das mensagens de voz poderia ser outro.

Pastas e mais pastas

Em vez de pastas, poderíamos usar apenas quadrados (Fonte da imagem: Scott Hanselman)

Por que a indústria insiste no ícone de pastas? Será que não podemos, simplesmente, usar a abstração de um quadrado ou qualquer coisa menos ultrapassada para guardar nossos documentos?

Telefone do túnel do tempo

(Fonte da imagem: Scott Hanselman)

Os smartphones mais modernos do mundo usam ícones que representam telefones de 20 anos atrás.

A lupa e o binóculo

Não seria melhor a lupa como ícone para procurar em documentos? (Fonte da imagem: Scott Hanselman)

Usamos binóculos para ver algo que está longe. Já a lupa é usada para procurar o que está por perto. No computador, isso funciona inversamente: o binóculo realiza pesquisas dentro de um documento enquanto a lupa varre o HD em busca de um arquivo que não ser pode ser facilmente visualizados.

Enviar cartas

O fim dos envelopes está próximo (Fonte da imagem: Scott Hanselman)

Assim como os disquetes, os envelopes podem sumir em breve, já que todo mundo tem abandonado o correio tradicional em prol dos emails. Portanto, chegará o dia em que as crianças lhe perguntarão: ei, o que significa esse retângulo?

Engrenagens e ferramentas

(Fonte da imagem: Reprodução/iOS)

É fácil perceber por que as ferramentas e engrenagens são usadas como ícone para configurações e ajustes de um sistema. Porém, também é fácil notar que pessoas abaixo de 20 anos recorrem cada vez menos a esse tipo de objetos.

Microfones

(Fonte da imagem: Reprodução/iOS)

Vamos combinar: até mesmo os microfones do Sílvio Santos são mais modernos do que os apresentados nos ícones de smartphones.

Fotografias instantâneas

(Fonte da imagem: Reprodução)

As câmeras Polaroid deixaram de ser fabricadas há muito tempo. Recentemente, a marca até tentou um relançamento com a ajuda de Lady Gaga, mas pelo visto não deu muito certo. Mesmo assim, a indústria continua se inspirando no passado para representar ícones de fotografias.

Televisões com orelhas

Antenas como essas costumavam ostentar pedaços de Bombril (Fonte da imagem: Scott Hanselman)

Há quanto tempo você não ouve alguém dizendo para colocar Bombril na antena da TV, como “artifício técnico” para melhorar a imagem? Pois é, a lã de aço parou de habitar as salas das residências brasileiras por uma simples razão: aquelas anteninhas não são mais usadas. Quer dizer, elas ainda aparecem nos ícones de hoje.

Cópia de carbono

Algumas pessoas tremem de medo quando se lembram das folhas de carbono (Fonte da imagem: Scott Hanselman)

Essa é velha. Se você já datilografou duas cópias de um texto ao mesmo tempo, com a ajuda de folhas de carbono, é porque você também recebia as provas na escola com cheiro de álcool do mimeógrafo. Em todo caso, os adolescentes de hoje nunca precisaram sujar os dedos com carbono. Portanto, não faz mais sentido o “CC” (Carbon Copy) dos emails.

Fonte: Scott Hanselman’s Computer Zen

Cupons de desconto TecMundo: