(Fonte da imagem: Reprodução/Democrat and Chronicle)

Uma notícia que poucos esperavam ver algum dia na vida. Um ex-funcionário da Kodak afirma que entre 2006 e 2007 a empresa guardou um reator nuclear com urânio enriquecido em uma filial nos Estados Unidos. O mais impressionante é que (apesar de ninguém saber da existência do reator) isso não representa exatamente um segredo, visto que todas as informações estavam disponíveis para quem quisesse ver os documentos de pesquisas da Kodak.

O reator esteve guardado em um bunker na sede da Kodal, na cidade de Rochester (Nova York, Estados Unidos) até 2007, quando a empresa decidiu que não havia mais motivos para mantê-lo. Uma grande quantidade de guardas armados foi chamada para colaborar no transporte do reator, que foi levado em contêineres para fora da Kodak – provavelmente, o material foi doado para o governo norte-americano, mas não há informações confirmadas sobre isso.

Como afirmou o Democrat and Chronicle, esse não é o tipo de material que pode ser utilizado por empresas. Mas ao que tudo indica, ele foi utilizado apenas para testes de radiografia de nêutrons e verificações de impurezas em outros materiais. Apesar de nunca ter ocorrido qualquer anúncio público sobre o reator, não parece que o urânio tenha sido obtido de maneira ilegal.

Fonte: Democrat and Chronicle

Cupons de desconto TecMundo: