(Fonte da imagem: Reprodução/Michael Oskin)

Um grupo de cientistas acaba de divulgar uma nova forma de avaliar como os terremotos modificaram o ambiente. O LiDAR, como é chamado, é capaz de medir com precisão de centímetros como o terreno foi alterado, o que pode ajudar pessoas a se preparem melhor para terremotos difíceis de serem previstos.

As imagens são criadas através de uma espécie de vibração de feixes de laser emitidos de uma aeronave, que rebatem no solo para colher informações de forma bastante rápida e precisa. Para este estudo, cientistas dos Estados Unidos, China e México conseguiram escanear em apenas três dias uma área de aproximadamente 225 km2, afetada por um terremoto de magnitude 7.2 que ocorreu no norte do México em 2010. Comparando os dados coletados com registros de 2006, eles puderam criar um comparativo do antes e depois da área atingida como nunca havia sido feito antes.

Entenda a imagem

Na imagem, os tons de azul significam que a terra se rebaixou e os tons de vermelho indicam movimentos ascendentes, quando comparado com um estudo realizado em 2006 da mesma área.

A imagem obtida pelos pesquisadores é muito importante com relação a este tipo de terremoto, pois ele não ocorreu próximo a nenhuma grande falha, mas sim nos arredores de várias falhas menores. Entender como essas áreas se comportam pode ser de extrema ajuda para a preparação e reação no caso de tremores futuros.

“Esse tipo de terremoto acontece sem nenhum tipo de aviso”, disse Micheal Oskin, um dos coautores do trabalho e professor de geologia na Universidade da Califórnia. Porém, mapeamentos como esse podem nos deixar mais alertas.

Cupons de desconto TecMundo: