Anders Behring Breivik, o extremista anti-islã responsável pela morte de 76 pessoas na última sexta-feira (22 de julho) deve ser enviado a uma prisão de segurança máxima com características semelhantes à de um hotel 5 estrelas. No presídio de Halden Fengsel, cada prisioneiro possui um apartamento com banheiro próprio, frigobar e televisor LCD.

No local estão aprisionados alguns dos piores criminosos da história da Noruega, incluindo assassinos e estupradores, que têm liberdade para caminhar entre bosques e praticar escaladas em uma parede especial. A maioria dos guardas do local não carrega armas e tem permissão para praticar esportes, além de compartilhar refeições com os internos.

Foco nos direitos humanos

O sistema carcerário do país tem como foco os direitos humanos e reabilitação de pessoas para reintegrá-las à sociedade. O conceito até o momento tem se provado bem sucedido, já que somente 20% dos presos voltam a cometer algum delito após 2 anos de liberdade – número que chega a 50% nos países do Reino Unido.

(Fonte da imagem: Reprodução/YouTube)

A Noruega possui taxas de encarceramento bastante pequenas quando comparadas a outros lugares do mundo. Em 2009, 71 em cada 100 mil cidadãos do país estavam presos. No mesmo ano, os números brasileiros registravam 253 presos para o mesmo contingente de pessoas – quantidade que chega a 743 nos Estados Unidos.

O complexo de Halden Fengsel abriga 248 detentos, e está localizado em meio a um bosque que ocupa área equivalente a 30 campos de futebol. O custo total da obra foi de R$ 500 milhões, e o local conta com ginásio coberto, estúdio de música e quartos reservados nos quais os presos podem receber visitas noturnas.

Cupons de desconto TecMundo: