Na semana passada, um homem do Arkansas (EUA) chamado Jesse Newton teve uma imagem viralizada em toda a internet. Ele fez um mapa da própria casa e riscou tudo com uma tinta marrom para ilustrar melhor o que havia acontecido na noite anterior. A tinta representava exatamente o que você já deve estar imaginando. Pois é... estamos falando de cocô.

Newton é dono de um aspirador inteligente Roomba, da iRobot, e programou o dispositivo para que a limpeza da casa fosse feita todas as madrugadas, perto de 1h30. Só que em uma noite, o cachorrinho da família teve problemas intestinais e acabou fazendo suas fezes no lugar errado, ou melhor (pior?), nos lugares errados.

Você não queria um mapa assim da sua casa

Com cocô canino em vários locais, o Roomba identificou os dejetos como lixo e tentou fazer a limpeza. O resultado disso está sendo chamado de "poopocalypse" (algo parecido com "cocolipse", o "apocalipse dos cocôs"): eram quase oito metros de fezes espalhadas pela casa de Newton.

De acordo com ele, a sujeira não ficou apenas no chão, mas tambném em pernas de móveis, nos carpetes, nas caixas de brinquedo das crianças... em tudo, praticamente.

Um fato isolado?

The Guardian entrou em contato com os criadores do Roomba para saber se o caso de Newton era algo inédito. Para a surpresa de muitos, a resposta é "não". De acordo com a iRobot, é muito mais comum isso acontecer do que as pessoas imaginam.

Um porta-voz da empresa relatou: "Nós geralmente dizemos às pessoas que elas tentem não agendar a limpeza se elas sabem que seus cachorros podem deixar sujeiras nos horários. Com animais qualquer coisa pode acontecer."

Ele também diz que esse tipo de situação poderia ser resolvido com sensores específicos para fezes, mas ainda não é possível dizer quando algo assim estará disponível. Mesmo assim, a iRobot afirma que os engenheiros estão trabalhando em algo que solucione os problemas de cocolipses.

Cupons de desconto TecMundo: