Esquadrão Suicida: James Gunn nega teoria de fãs sobre Bolinha

1 min de leitura
Imagem de: Esquadrão Suicida: James Gunn nega teoria de fãs sobre Bolinha
Imagem: IMDb/Reprodução
Avatar do autor

Com o lançamento de O Esquadrão Suicida, muitas pessoas estão se deparando pela primeira vez com vários dos vilões não tão populares da DC Comics. E isso também tem feito com que muitas teorias apareçam na internet.

Porém, o diretor do filme, James Gunn, não demorou para negar uma delas. No Twitter, um usuário afirmou que o Bolinha, personagem de David Dastmalchian, parece se apegar a outro personagem secundário. Na visão de alguns fãs, isso seria uma referência ao criador do vilão da DC. Gunn então explicou que não é exatamente esse o caso.

“Não acho que o Bolinha pensava em Milton muito mais do que em qualquer outra pessoa. Mas ele está sempre agarrando uma oportunidade para que as pessoas sintam pena dele, daí sua ‘conexão’. Falei sobre isso com Dastmalchian  antes das filmagens”.

Anteriormente, Gunn já havia comentado sobre essa característica do vilão.

“O Bolinha é ótimo”, explicou Gunn. “[Enquanto trabalhava no roteiro] Eu decidi pesquisar, ‘Quem é o personagem mais idiota da DC?’ E era o Bolinha. Transformamos aquele personagem, que é triste e patético, em um personagem que está deprimido porque as pessoas o acham estúpido. Ele tem uma história muito trágica que você aprende ao longo do filme — ser capaz de adicionar profundidade a esse tipo de personagem é uma coisa divertida para mim”.

Na mesma conversa, Dastmalchian realmente acrescentou que “meu personagem, Abner, é alguém que viveu uma vida inteira com muita dor, muita vergonha, muita solidão por causa de uma condição que ele tem”, observou Dastmalchian.

“Essa condição foi algo que ele decidiu em determinado momento que seria o mais adequado para ferir outras pessoas, para que ele pudesse obter alguma vingança contra um mundo cruel e injusto. Então, quando o encontramos entrando nesta história, ele é alguém que nunca fez parte de nada. Por isso, mesmo no meio de um monte de desajustados e criminosos, ele talvez tenha se encontrado em um dos primeiros momentos de sua vida em que ele faz parte de alguma coisa”, completou.