Liga da Justiça: confira as primeira reações ao Snyder Cut

4 min de leitura
Imagem de: Liga da Justiça: confira as primeira reações ao Snyder Cut
Imagem: IMDb/Reprodução
Avatar do autor

Depois de muita expectativa, a versão de Zack Snyder para a Liga da Justiça está perto de estrear. O filme chega no dia 18 de março na HBO Max e poderá ser alugado no formato on demand nos países que não contam com o serviço. Como costuma acontecer, alguns críticos já assistiram ao filme e puderam fazer alguns comentários por meio do Twitter. Abaixo, você confere as primeiras reações ao Snyder Cut.

Atuação de Ray Fisher como Ciborgue é um dos principais destaques do filme.Atuação de Ray Fisher como Ciborgue é um dos principais destaques do filme.Fonte:  IMDb/Reprodução 

Brian Davids — THR

Apesar de ter sentimentos confusos sobre seus filmes anteriores da DC, o Snyder Cut me conquistou completamente. Além de absolutamente incrível, é o filme de super-herói mais operístico já feito. Por mais grandiosos que sejam os cenários, eles são mais impactantes porque os personagens têm o tempo necessário para se desenvolver e interagir entre cada sequência. O enredo de Ray Fisher me afetou mais e é, de fato, o coração do filme. Os fãs que pediram vão se sentir eufóricos.

Erik Davis — Fandango

Agora posso dizer que assisti ao Snyder Cut, e é muito superior à versão que foi aos cinemas. Desenvolvimento rico de personagens, ação muito melhor, uma história coerente e alguns momentos incríveis. Embora seja bem longo, nunca me cansei dele. Na verdade, eu assisti mais de uma vez e passei uma tarde inteira indo e voltando entre esse novo corte e o original para ter uma compreensão mais clara do que mudou. As modificações foram significativas, eu acho, tonalmente, visualmente, musicalmente e em termos de ação. Algumas são enormes, já outras pequenas, como uma nova deixa musical, mas é incrível ver o quanto mudar a música em uma cena impacta a ressonância emocional dela. Depois de todo o discurso em torno disso, estou honestamente impressionado que seja tão bom quanto de fato é.

Steven Weintraub — Collider

O Snyder Cut é repleto de cenas inéditas que as pessoas vão amar e um filme muito melhor do que o lançado nos cinemas. Diferenças tão claras quanto dia e noite. Dito isso, não consigo imaginar essa versão estreando nas telonas, pois é perfeita para o HBO Max.

Perri Nemiroff — Collider

Snyder Cut é o corte mais forte de longe. Sim, é longo, mas durante a maior parte dessas 4 horas, o material tem um propósito. O corte de 2017 acabou com os personagens se unindo simplesmente porque era um filme de super-heróis. Nesta versão, no entanto, existe uma série de motivações para que eles possam se entender, descobrir como trabalhar em equipe e transmitir bem que todos eles têm algo pelo que lutar. Fiquei absolutamente fascinado ao ver as filmagens incluídas na edição de 2017 se tornarem mais poderosas aqui.

Rob Keyes — Screen Rant

Eu assisti ao Snyder Cut na semana anterior. Isso me fez desejar que houvesse uma trilogia da Liga da Justiça e um plano para o universo maior, onde esse Aquaman e essa Mulher Maravilha se sincronizassem melhor com os filmes solos, nos quais Ciborgue recebesse o que merecia, etc. Por um lado é longo, mas, por outro, é muito curto a esse respeito. Está claro que Zack Snyder colocou todo o trabalho que já havia finalizado para concluir sua história, mas espero que não seja o fim, já que há cenas e edições que não funcionam totalmente por conta própria nessa história, algumas existindo apenas como extras para os fãs ou para serem concluídas mais tarde. O mais incrível é que os fãs ficarão felizes e satisfeitos que o Snyder Cut finalmente está aqui e, por isso, vão querer muito mais.

Sheraz Farooqi — Rotten Tomatoes

O Snyder Cut é o Senhor dos Anéis da DC, simples assim. Épico e grandioso, com grandes atuações, especialmente de Ray Fisher. Com uma trilha sonora incrível de Junkie XL e o olho de Snyder para dirigir, o Snyder Cut é o filme dos sonhos de todos os fãs da DC ganhando vida.

Andrew J. Salazar — Discussing Film

O Snyder Cut não vai conquistar novos espectadores. É tudo que os fãs amam no trabalho de Snyder e tudo o que as pessoas não gostam no diretor, mas amplificado. É obviamente melhor do que o filme de 2017, mas não precisava mesmo ter 4 horas de duração. Fiquei cada vez mais interessado por o quão diferentes algumas partes são. O 3º ato é de uma melhora massiva, mas essencialmente é a mesma trama, só que mais longa. Funcionaria melhor se tivesse entre 2 horas e meia ou 3 horas de duração. Não é tão intenso quanto Batman vs. Superman e poderia facilmente ser o filme de quadrinhos mais acessível se não fosse pela duração.

Daniel Richtman — Insider

Vantagens: sem família russa; o terceiro ato é muito bom; bom desenvolvimento de personagens. Desvantagens: Ezra Miller; o sotaque britânico aleatório da Mera; Gal Gadot gritando "Kal El NÃAAAAO!"; as primeiras duas horas são um saco; o epílogo é terrível, com efeitos visuais dignos de jogo de PlayStation 2.

Scott Mendelson — Forbes

O Snyder Cut é um corte de montagem com efeitos finalizados. É a mesma coisa do filme que vimos em 2017, mas com 2 horas de cenas deletadas e algumas tramas levemente repaginadas. Dois motivos para assistir: o clímax de ação é muito melhor, e o Ciborgue ganha seu merecido holofote. Não há nada que indique que Snyder e sua equipe não conseguiriam ter editado isso para 2 horas e 30 minutos ou 3 horas de duração. Os primeiros 110 minutos são uma tortura de arrastados, parados e vazios. Ao mesmo tempo, a Warner Bros. poderia muito bem ter lançado uma versão com 150 minutos de duração com esse material incluso lá em 2017.

Liga da Justiça: confira as primeira reações ao Snyder Cut