Vacinação para covid-19 em SP terá início em dezembro, diz Dória

1 min de leitura
Imagem de: Vacinação para covid-19 em SP terá início em dezembro, diz Dória
Imagem: Sinovac/Divulgação
Avatar do autor

A vacina contra covid-19 estará disponível para aplicação, no estado de São Paulo, a partir do dia 15 de dezembro, pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A afirmação foi feita pelo governador João Dória, nesta quarta-feira (30). Ele também revelou que a imunização começará com os profissionais de saúde.

“Vamos respeitar todos os procedimentos de testagem e de aprovação na Anvisa. E aí sim, o início da vacinação em 15 de dezembro, começando pelos profissionais de saúde. Médicos, enfermeiros, paramédicos, aqueles que atuam em hospitais públicos, privados e em todas as unidades de saúde públicas, municipais e estaduais”, comentou Dória.

A fala aconteceu durante a assinatura do contrato entre o governo estadual e o laboratório chinês Sinovac, para o recebimento de 46 milhões de doses do imunizante contra o novo coronavírus. O Instituto Butantan é parceiro da farmacêutica na produção da CoronaVac.

O acordo assinado entre o governo e a Sinovac é de US$ 90 milhões.O acordo assinado entre o governo e a Sinovac é de US$ 90 milhões.Fonte:  Instituto Butantan/Divulgação 

Deste total, 6 milhões de doses serão enviadas já prontas pela empresa asiática, chegando em outubro, enquanto as outras 40 milhões de vacinas terão produção nos laboratórios do Butantan. O acordo prevê, ainda, a disponibilização de mais 14 milhões de doses, até fevereiro de 2021, totalizando 60 milhões de unidades da CoronaVac, e a transferência de tecnologia para a produção nacional.

Liberação depende dos resultados dos testes

A vacina CoronaVac está, atualmente, na fase 3 de testes. Ao final desta etapa, os resultados do estudo serão submetidos à análise da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e somente após a aprovação é que ela poderá ser oferecida à população.

O diretor do Instituto Butantan Dimas Covas havia dito, anteriormente, que pedirá a liberação da imunização, caso ela apresente eficácia de pelo menos 50%, na análise preliminar.

Recentemente, os resultados dos testes da CoronaVac na China, com mais de 50 mil voluntários, demonstraram que ela é segura e não apresenta reações adversas significativas.

Vacinação para covid-19 em SP terá início em dezembro, diz Dória