Como jogar no trabalho afeta seu desempenho profissional

2 min de leitura
Imagem de: Como jogar no trabalho afeta seu desempenho profissional
Imagem: Pexels.com/Reprodução
Avatar do autor

Para algumas pessoas, jogar videogames configura um momento de lazer depois de um longo dia de trabalho; outras enxergam que pode ser benéfico realizar a atividade durante o expediente.

Uma pesquisa realizada pelo Word Tips com 1 mil trabalhadores norte-americanos analisou esse diferente hábito. E os resultados curiosos podem gerar ótimas reflexões.

Os jogos mobiles são os preferidos entre os trabalhadores.Jogos mobiles são os preferidos entre os trabalhadores.Fonte:  Pexels.com/Reprodução 

Um hábito comum

Surpreendentemente, o estudo revelou que 80% dos entrevistados jogam quando deveriam estar trabalhando, e grande parte (96%) usa smartphones como a "principal plataforma". De maneira geral, 50 minutos da produtividade semanal são perdidos com jogos no horário de trabalho. Millennials (nascidos entre 1981 e 1997) e trabalhadores remotos são os que mais têm esse costume.

Outro ponto chamativo é que 86% dos gerentes ou supervisores passam mais tempo nos joguinhos do que os subordinados (74%). Em média, eles gastam 54 minutos por semana, enquanto os funcionários comuns perdem 42 minutos.

O clássico Paciência ainda é o favorito de muitas pessoas.O clássico Paciência ainda é o favorito de muitas pessoas.Fonte:  Pinterest/Reprodução 

Os games mais jogados no ambiente de trabalho

O estudo revelou que Candy Crush Saga (41%) e Angry Birds (33%) são os games mobiles favoritos entre os entrevistados. Enquanto isso, o clássico Paciência (17%) e Minecraft (15%) são as escolhas principais de quem se arrisca a jogar no computador.

Ao separar as repostas dos entrevistados por gênero e plataforma, outro dado curioso é encontrado. No caso, 16% dos homens jogam Counter-Strike: Global Offensive no local de trabalho.

57% dos trabalhadores recorrem aos jogos quando estão entediados.57% dos trabalhadores recorrem aos jogos quando estão entediados.Fonte:  Pexels.com/Reprodução 

Motivos para jogar no meio do expediente

Em relação aos motivos que levam a esse diferente hábito, 57% dos entrevistados responderam que é uma opção para quando estão entediados, enquanto 51% alegam que é uma forma de passatempo e 46% defendem jogar apenas após concluir as tarefas.

Ainda assim, algumas respostas impressionam. Por exemplo, 9% dos empregados relataram que não consideram o trabalho desafiador o suficiente e 15% confessaram que os jogos são uma forma de procrastinação.

Nos Estados Unidos, esse hábito parece não envolver muitos riscos. Ao terem sido pegas jogando durante o expediente, algumas pessoas disseram que apenas foram repreendidas (57%) ou tiveram conversas sérias com os superiores, mas não sofreram consequências graves (41%).

Para 48% dos entrevistados, os games ajudam na criatividade.Para 48% dos entrevistados, os games ajudam na criatividade.Fonte:  Pexels.com/Reprodução 

O lado positivo dos games no trabalho

De certa maneira, jogar no horário de trabalho pode oferecer alguns benefícios. Para os entrevistados, os games os ajudam a se sentirem mais relaxados (77%), bem como impede que se sintam cansados após o almoço (54%). Além disso, acreditam que contribuem para serem mais criativos e evitam o desgaste no trabalho (48%). Curiosamente, uma em cada cinco pessoas defende que os games auxiliam a restaurar o foco tanto quanto beber café.

A pesquisa da Word Tips conclui que o entretenimento e o trabalho podem ser aliados. Mesmo que alguns pessoas usem para procrastinar, os pontos positivos ainda se destacam mais do que os negativos. Portanto, é justificável uma pausa para relaxar em um dia estressante no escritório ou no home office, seja para jogar uma partida de Counter-Strike, seja para capturar criaturas no Pokémon GO.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Como jogar no trabalho afeta seu desempenho profissional