Diretor da Ancine é denunciado pelo MPF por associação criminosa

1 min de leitura
Imagem de: Diretor da Ancine é denunciado pelo MPF por associação criminosa
Avatar do autor

O diretor-presidente da Agência Nacional do Cinema (Ancine), Christian de Castro Oliveira, afastado do cargo desde 30 de agosto, está sendo processado pelo Ministério Público Federal (MPF) por suspeita de associação criminosa, violação de sigilo funcional, prevaricação, crimes contra a honra e denunciação criminosa. A denúncia também foi feita contra o ex-Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, e outras seis pessoas.

De acordo com o que foi apurado até o momento, o grupo vinha tentando interferir nas eleições da Ancine, prejudicando a imagem de outros diretores que concorriam à vaga. Em comunicado, o MPF indicou que o crime ocorreu entre 2017 e 2018 e que todos os envolvidos seriam beneficiados caso Oliveira fosse eleito.

O MPF também acusa os envolvidos de "enriquecimento ilícito pessoal e de terceiros", que por isso responderão também a uma ação civil pública. Em comunicado, o MPF solicitou "a decretação da indisponibilidade dos bens dos demandados, o afastamento do exercício do cargo e das funções públicas". O grupo também pode ser condenado a pagar multa de R$ 500 mil por danos materiais e morais.

Christian de Castro Oliveira (Fonte: Ancine/Reprodução)

A defesa de Sérgio Sá Leitão divulgou um comunicado alegando que seu cliente é inocente e que as acusações feitas pelo MPF são "infundadas e revelam um caráter estritamente político e midiático". A nota destaca que o ex-ministro trabalhou por cerca de 20 anos como servidor público, "em prol do desenvolvimento da arte, da cultura e da economia criativa no Brasil" e que tudo será devidamente esclarecido.

A equipe do UOL entrou em contato com a Ancine, mas não obteve respostas. Christian de Castro Oliveira não foi localizado até o momento.

Fontes

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Diretor da Ancine é denunciado pelo MPF por associação criminosa