Vinte anos depois do primeiro filme, Independence Day: O Ressurgimento entra em cartaz para recapturar o apreço dos espectadores pelo cinema catástrofe, sub-gênero que tem suas fases de sucesso junto ao público.

Roland Emmerich, que comandou o longa original, está de volta na direção desta sequência, que conta também com Jeff Goldblum reprisando seu papel. O astro Will Smith, porém, não participa da história; mas o grande atrativo da produção deve ser mesmo os efeitos especiais!

Na trama de Independence Day: O Ressurgimento, as nações da Terra têm usado tecnologia alienígena recuperada para criar um programa de defesa imenso para proteger o planeta. Mas nada poderá preparar para a força avançada e sem precedentes dos alienígenas, e somente a ingenuidade de alguns valentes homens e mulheres pode trazer nosso mundo de volta da beira da extinção.

O longa, que acaba de estrear nas salas brasileiras, têm recebido, em grande parte, críticas negativas pela impressa estrangeiras, mas alguns especialistas têm destacado que a produção é bem sucedida em seu objetivo principal – de entreter o público!

Confira abaixo alguns comentários dos principais veículos da crítica estrangeira para Independence Day: O Ressurgimento.

  • Críticas:

Tão espetacular quanto você poderia esperar de uma sequência para o longa de 1996. Você irá se divertir o suficiente para não sentir falta de Will Smith” (Dan Jolin, da Empire).

O aspecto principal que os espectadores esperam de Ressurgimento é entretenimento puro e barulhento, e isso ele oferece razoavelmente com sucesso” (Leslie Felperin, do The Hollywood Reporter).

Este Big Mac cinematográfico entretém bastante em seus próprios méritos” (Guy Lodge, a Variety).

É tudo demais e muito rápido, e o efeito cumulativo deixa a impressão de estar assistindo a um trailer de duas horas – sendo mais vertiginoso do que emocionante” (Tom Huddleston, da Time Out London).

As naves espaciais e a destruição são maiores, mas não melhores, nesta sequência de Roland Emmerich que chega vinte anos depois, onde apenas o senso de humor de Jeff Goldblum salva a produção” (Jason Solomons, do The Wrap).

Embora o enredo seja tolo, e o roteiro seja pior, assistir a alienígenas explodindo de forma espetacular não é a pior desculpa para passar duas horas no ar condicionado” (Molly Eichel, do Philadelphia Inquirer).

Independence Day: O Ressurgimento é um filme ruim, às vezes de maneiras boas que servem para dar risada (...) mas na maior parte apenas de maneiras ruins que fazem você desejar não ter perdido o seu tempo e dinheiro” (Matt Singer, do ScreenCrush).

O primeiro Independence Day era muito divertido, com ótimas falas e efeitos especiais de ponta. Mas foi tão imitado que esta sequência parece uma cópia desgastada, e o elenco não acerta uma no que se trata de humor” (Lou Lumenick, do New York Post).

Este filme poderia ter sido intitulado Independence Day: Submersão. É difícil não se afogar no mar de CGI, com o aumento exponencial de pixels representando para Independence Day o que as prequels de Star Wars foram para a trilogia original” (Jamie Graham, da Total Film).

E você, planeja assistir Independence Day: O Ressurgimento nos cinemas? Já assistiu? Deixe abaixo o seu comentário e sua opinião sobre o filme!

Via Minha Série.

Cupons de desconto TecMundo: