Imagem de: FBI prende homem suspeito de hackear celebridades nos EUA

FBI prende homem suspeito de hackear celebridades nos EUA

1 min de leitura
Avatar do autor

Reuters. Por Sue Zeidler - Autoridades federais dos Estados Unidos prenderam nesta quarta-feira um homem e o acusaram de 26 delitos ligados a crimes na Internet cometidos contra celebridades de Hollywood, após uma investigação federal de 11 meses que ficou conhecida como a "Operação Hackerazzi".

Entre as vítimas estavam a atriz Scarlett Johansson, a estrela de "Cisne Negro" Mila Kunis e a cantora Christina Aguilera, segundo autoridades do FBI (Polícia Federal Americana) e do Departamento de Justiça dos EUA.

Christopher Chaney, de 35 anos, de Jacksonville, na Flórida, foi preso na manhã desta quarta-feira por agentes do FBI e acusado de invadir contas de emails pessoais das celebridades e depois distribuir alguns dos arquivos obtidos ilegalmente, incluindo fotos nuas que foram posteriormente publicadas na rede.

"O crime cibernético não afeta apenas os ricos e os famosos, mas todo mundo", disse o procurador Andre Birotte, ao anunciar a detenção. Ele observou, contudo, que a fama das vítimas nesse caso trouxe a questão à tona para muitos.

Ele elogiou Johansson, Kunis e Aguilera por divulgar seus nomes. "Tivemos um relacionamento de trabalho positivo... Elas concordaram em divulgar seus nomes, para ter um impacto dissuasor. Envia um recado", afirmou.

Categorias

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
FBI prende homem suspeito de hackear celebridades nos EUA