Reuters. Por Sue Zeidler - Autoridades federais dos Estados Unidos prenderam nesta quarta-feira um homem e o acusaram de 26 delitos ligados a crimes na Internet cometidos contra celebridades de Hollywood, após uma investigação federal de 11 meses que ficou conhecida como a "Operação Hackerazzi".

Entre as vítimas estavam a atriz Scarlett Johansson, a estrela de "Cisne Negro" Mila Kunis e a cantora Christina Aguilera, segundo autoridades do FBI (Polícia Federal Americana) e do Departamento de Justiça dos EUA.

Christopher Chaney, de 35 anos, de Jacksonville, na Flórida, foi preso na manhã desta quarta-feira por agentes do FBI e acusado de invadir contas de emails pessoais das celebridades e depois distribuir alguns dos arquivos obtidos ilegalmente, incluindo fotos nuas que foram posteriormente publicadas na rede.

"O crime cibernético não afeta apenas os ricos e os famosos, mas todo mundo", disse o procurador Andre Birotte, ao anunciar a detenção. Ele observou, contudo, que a fama das vítimas nesse caso trouxe a questão à tona para muitos.

Ele elogiou Johansson, Kunis e Aguilera por divulgar seus nomes. "Tivemos um relacionamento de trabalho positivo... Elas concordaram em divulgar seus nomes, para ter um impacto dissuasor. Envia um recado", afirmou.

Cupons de desconto TecMundo: