Protótipo do "Cooler de Sandia"(Fonte da imagem: Sandia National Lab.)

Um pesquisador do governo estadunidense apresentou uma arquitetura nova para dispositivos que sempre estiveram presentes em quase todos os computadores, mas há décadas que não sofrem nenhuma mudança drástica: coolers. Sem esses dispositivos, componentes importantes como a placa de vídeo ou o CPU não funcionariam mais do que 10 minutos sem aquecer ao ponto de derreter.

Jeff Koplow, um pesquisador do laboratório Sandia, teve a brilhante ideia de transformar todo o dissipador cerâmico na própria ventoinha, incorporando um motor brushless na peça em forma de espiral. A ideia é eliminar o dissipador estático que, inevitavelmente, sempre vai ter uma espécie de “bolsão de ar” aquecido a sua volta, não importando o tamanho ou velocidade da ventoinha acoplada a ele.

Esquema de funcionamento (Fonte da imagem: Sandia National Lab.)

Segundo o documento apresentado por Jeff, a parte fixa do dissipador ficaria a uma distancia mínima da “cabeça” giratória, permitindo que o calor transite entre as porções mesmo sem a famosa pasta térmica. Além disso, o fato de não haver mais superfícies estáticas em exposição contribuem para diminuir o indesejável pó que acaba se acumulando com o tempo.

Cupons de desconto TecMundo: