Os video games evoluíram muito nos últimos anos, assim como os seus controles. Se hoje nós contamos com joysticks baseados em sensores de movimento (ou até mesmo com a ausência de joystick, no caso do Kinect), muitas formas de jogar já foram apresentadas pela indústria ao longo dos anos.

Desde tapetes especiais para jogos de dança até os instrumentos musicais de plástico que começaram a fazer sucesso com a série Guitar Hero, os fabricantes de games já lançaram diversas maneiras bastante diferentes de se divertir com jogos eletrônicos.

Mesmo assim, ainda há muitas maneiras de jogar que não foram exploradas comercialmente, como é o caso dos extravagantes (e não por isso menos divertidos) joysticks que selecionamos para esta matéria. Acompanhe!

Super Mario Bike!

Esqueça os karts infláveis lançados para o Nintendo Wii: com este controle especial é necessário suar a camisa para chegar em primeiro lugar. Isso porque o controle, montado a partir de uma bicicleta ergométrica, exige que o jogador pedale para acelerar.

No vídeo em que divulga a invenção, o criador norte-americano Brent Smith explica que a bicicleta reconhece a frequência com que o jogador pedala, enquanto botões no guidão o permitem virar para os lados e utilizar itens especiais.

Em seu blog (em inglês), Smith disponibiliza a lista completa de materiais utilizados para a criação do controle, além de explicar também detalhes sobre o processo de montagem e funcionamento da bicicleta-joystick.

Uma verdadeira mesa de jogos

Há diferentes tipos de fãs de video games. Enquanto alguns ficam satisfeitos apenas em aproveitar os jogos, muitos gostam de adquirir (ou até mesmo de fabricar) produtos relacionados às suas séries e consoles favoritos.

Pois o australiano Kyle Downes decidiu criar uma mesa de café no formato de um controle de NES para enfeitar a sua sala. Mas não basta apenas aparentar um joystick, é preciso também funcionar como um.

E foi exatamente isso que ele conseguiu. Enquanto o processo inteiro de fabricação é descrito com detalhes em seu blog pessoal, no vídeo acima é possível ver Kyle testando o gigantesco controle (o qual é muito mais eficiente como item decorativo do que como um joystick mesmo).

Para quem tem mãos gigantes

Pode ter acontecido com você também. Se os controles de NES e Super Nintendo pareciam perfeitamente ergonômicos durante a infância, hoje eles parecem extremamente desconfortáveis. Um sentimento comum, uma vez que o tamanho médio dos controles de video game aumentou (até demais, em alguns casos, como bem sabem os donos do primeiro Xbox).

Pois da mesma forma que o inventor da mesa de café acima, alguns jogadores decidiram criar versões maiores dos controles que utilizavam quando eram crianças. O resultado? Joysticks absurdamente grandes, até mesmo para os padrões de jogadores da NBA.

O norte-americano Matt LaBoone, por exemplo, decidiu criar um controle de Super Nintendo de 1 metro de largura. Embora menor que a mesinha de café do NES, LaBoone afirma que o tamanho “reduzido” é melhor para que o controle seja funcional para apenas um jogador (embora isso não o impeça de ser usado em dupla).

Já o artista Jason Torchinsky, de Los Angeles, criou um controle de Atari 2600 15 vezes maior que o modelo original. Afinal, tudo o que você queria era poder utilizar um joystick para medir o crescimento do seu filho, não é mesmo?

Beijoliche?

Durante a edição do ano passado da Electronic Entertainment Expo, dois jogos bastante inovadores se destacaram em meio à feira, mesmo não sendo continuações de franquias como Call of Duty e Need for Speed.

Bastante simples, os dois games se diferenciavam mesmo pelo modo como as pessoas devem jogá-los: com beijos de língua. Assim, em um jogo de boliche, por exemplo, a movimentação das línguas determina a direção e a velocidade com que a bola será lançada. Trata-se de um modo multiplayer realmente único.

Idealizado pela artista Hye Yeon Nam, o “controle” é composto por duas partes. Um dos jogadores fixa um pequeno ímã na ponta da língua com a ajuda de um fixador de dentadura. É necessário usar uma quantia expressiva para que o ímã não seja engolido. Já o segundo jogador deve utilizar uma espécie de headphone contendo os sensores para captar o sinal do ímã.

Além do boliche há um pequeno simulador de corrida que pode ser jogado com o peculiar joystick,  mas Nam ainda enfrenta alguns problemas no caminho de comercializar a sua invenção. Isso porque, caso o ímã seja engolido, podem ocorrer complicações como torções intestinais. Quem iria imaginar que beijar fosse tão perigoso?