Navegar pela internet apenas com o movimento dos olhos, mudar a página de um livro eletrônico com a força do pensamento, avançar mídias em execução no player de vídeos e músicas com um simples gesto e controlar o personagem de um jogo somente com a voz. Pode até parecer mais um cenário de filme futurista, mas a verdade é que todas estas situações podem se tornar realidade antes do que imaginávamos.

Algumas empresas de tecnologia estão declarando guerra aos mouses e teclados ao criar mecanismos para abolir esses periféricos da nossa vida virtual. Conheça algumas maneiras – um tanto quanto estranhas, – de interação com o computador que já saíram do papel.

Olhar 43

Quando a tecnologia desenvolvida pela parceria entre Tobii e Lenovo se popularizar, os seus olhos deixarão de ser um mero instrumento de sedução ou intimidação. A novidade, anunciada durante a CeBIT 2011, permite que notebooks sejam controlados somente pelo olhar do usuário.

Este mecanismo serve como uma interface complementar para o sistema operacional dos gadgets, facilitando a acessibilidade de pessoas que tenham alguma limitação física. A técnica conta com duas luzes infravermelhas posicionadas atrás da tela, as quais enviam sinais luminosos até a retina do usuário. Posteriormente, esses sinais são monitorados por duas câmeras que identificam os pontos de interesse no monitor.

(Fonte da imagem: Divulgação/Lenovo)

A tecnologia tem grande utilidade na leitura de documentos ou interação em games sem a necessidade de utilizar as mãos. O software que transmite os pontos de interesse registrados também oferece outras ferramentas, como um dicionário interativo que exibe informações para a compreensão de uma palavra que passa muito tempo focalizada.

 

De acordo com as empresas, a metodologia promove um melhor desempenho durante a leitura e navegação pela internet. O invento ainda está em fase de testes, mas os protótipos têm surpreendido a equipe de desenvolvimento. Quem arrisca um palpite de em quanto tempo teremos esta tecnologia comercializada nas lojas de informática?

A força está na sua mente

Se depender da Emotiv e da Guger Technologies, o poder psíquico deixará de ser uma exclusividade do Professor Charles Xavier – personagem da série X-Men que sofreu mutações e adquiriu as habilidades da telepatia, manipulação mental e ataques psiônicos.

Abrindo a cabeça

O EPOC, produto da Emotiv, consiste em um “leitor” de mentes. O gadget utiliza um headset com 14 sensores e um giroscópio, além do auxílio de alguns softwares, para transcrever os sinais elétricos emitidos pelo cérebro em comandos para o cursor. Não está acreditando? Então dê uma olhada no vídeo abaixo e segure o queixo!

Sem fios e com uma bateria que oferece 12 horas de utilização, o equipamento é focado em pessoas com deficiência motora. Entretanto, o EPOC não é restrito para este uso. Segundo os seus criadores, ele é de grande valia para jogadores de Call of Duty e World of Warcraft. Seu arsenal de armas para derrotar os inimigos no mundo virtual ganha um reforço: a força da sua mente!

O gadget pode ser comprado na loja virtual da fabricante por US$ 299 – cerca de R$ 510 sem o cálculo de impostos. Clique aqui e confira o EPOC.

Touca cerebral

Neste mesmo contexto, a empresa austríaca Guger Technologies desenvolveu uma tecnologia que utiliza uma touca para a captação das ondas cerebrais e movimentação de um avatar. O BCIsys foi demonstrado na CeBIT 2010 e deu o que falar nas mídias do setor.

A touca, que passa longe das vitrines com marcas da moda, é repleta de eletrodos – os quais são responsáveis pela captação dos impulsos enviados pelo cérebro. Estes sinais são enviados para um software no computador que permite a interação com um personagem virtual. O usuário é capaz de movimentá-lo apenas com o pensamento.

A tecnologia da Guger tem um grande potencial para a indústria dos games. Ela seria uma revolução na forma como os jogadores interagem com os personagens e cenários dos jogos. Confira o BCIsys em ação no vídeo seguinte:

Mais gadgets na mira

Por sua vez, a PLX criou um dispositivo para interagir com os portáteis da Maçã mais disputada do mercado. O XWave, como foi apelidada a novidade, opera de maneira muito semelhante ao EPOC, porém, as ondas cerebrais são transformadas em controles para o iPhone, o iPad e o iPod touch.

Um simples gesto faz a diferença

O Kinect, periférico para o console da Microsoft, revolucionou o mundo dos games abolindo os controles dos video games. A tecnologia lançada em novembro de 2010 chegou ao mercado causando o maior reboliço. Pouco tempo depois de invadir as prateleiras das lojas, o software do periférico já havia sido “invadido”.

Qual a novidade nisso? Desenvolvedores começaram a dar novas funcionalidades ao Kinect, incluindo o controle do Windows e navegadores. Uma nova onda de formas de interação entre usuário e máquina está prestes a fazer parte das nossas vidas.

Com o Windows na mão

A empresa alemã Evoluce foi uma das primeiras a demostrar o potencial do Kinect. A organização criou um software que interage com o Windows 7 através de gestos captados pelos sensores do periférico do Xbox 360. Além da Área de trabalho, a novidade consegue manipular recursos com suporte a multitoque – área de maior interesse para a Evoluce. Dê uma olhada no vídeo seguinte o que seus dedos serão capazes de fazer!

Navegadores bem diferentes

O DepthJS é outro projeto com ótimas perspectivas de futuro. Ele foi desenvolvido pelo Fluid (grupo de pesquisa do Instituto de Tecnologia do Massachusetts) para que o usuário navegue pela web sem se encostar em nada. Utilizando JavaScript e o Kinect, o DepthJS permite a navegação entre abas, rolar as páginas, acessar links ou histórico de navegação e aplicar zoom nos sites. Balance a mão e dê um tchau para o teclado e o mouse.

Nadando na internet

Seguindo este segmento, o desenvolvedor David Stolarsky inovou no modo como podemos surfar na web com o SwimBrowser. O navegador é comandado com movimentos bem peculiares: braçadas como se o usuário estivesse nadando.

Com movimentos bem parecidos com as modalidades de natação, é possível ampliar a exibição da página, acessar links, trocar de aba, avançar ou retroceder no histórico, selecionar campos de texto e abrir menus dos mais variados tipos. Em breve, você vai precisar vestir trajes de banho antes de conectar-se à internet.

Alternativas baratas

O Kinect é uma tecnologia revolucionária, porém, não é tão acessível. O periférico custa cerca de R$ 600, o que restringe a aquisição de muitos jogadores. Entretanto, há algumas maneiras alternativas de você se divertir sem gastar muito.

O Baixaki preparou um artigo com dicas de jogos controlados por movimentos. O Webcam Mania GamePack 2 oferece 14 mini jogos em Flash para que o usuário se divirta com a webcam. Clique aqui e confira a matéria na íntegra. E aí, pronto para encarar provas de equilíbrio, trajetos náuticos desafiadores e partidas de futebol eletrizantes?

A evolução da revolução

Se você já teve a oportunidade de experimentar o Kinect, não perde por esperar pelo controle que está sendo desenvolvido por uma equipe da Universidade Abertay Dundee – localizada no Reino Unido. O gadget utiliza a técnica “Simul-cam” (ferramenta usada na gravação do sucesso de bilheteria Avatar) para proporcionar maior liberdade de movimento durante jogos.

O controle permite que o jogador tenha uma visão em 360 graus de todo o cenário, além da aproximação da tela. A tecnologia tem grande potencial para games de tiro em primeira pessoa, como Call of Duty, Counter Strike e Medal of Honor. A sensibilidade e a precisão dos movimentos deste produto são tão qualificadas que outras áreas podem recebê-lo como ferramenta de trabalho, como é o caso de cirurgias à distância.

O poder das cordas vocais

A limitação física está sendo driblada com novos eletrônicos e softwares para que todos tenham acesso a qualquer tipo de tecnologia. O Vocal Joystick, carinhosamente apelidado de VJ, é mais um gadget para permitir que pessoas com deficiência possam desfrutar da internet, por exemplo.

A tecnologia usa a voz do usuário para mandar os comandos ao sistema operacional. A grande diferença do VJ é que ele não interpreta apenas a pronuncia de palavras completas. O aplicativo interpreta a entonação de sílabas como movimentos com o mouse ou ações em programas.

O Vocal Joystick também incluirá a potência vocal, o timbre e outros elementos da fala no sistema de identificação de comandos. Isso deve tornar a experiência de quem possui algum tipo de limitação mais agradável e descomplicada. O vídeo seguinte demonstra um pouco do que o VJ é capaz.

A mesa interativa

O Surface é mais um dos produtos da Microsoft que teve enorme repercussão em seu lançamento. A mesa interativa da marca permite uma relação entre usuário e computador jamais vista antes. Sem qualquer teclado ou mouse, a ponta dos dedos é o suficiente para o controle total do sistema operacional.

Depois de dominar o mercado e ver a concorrência se aproximar, a empresa busca ampliar as funções deste gadget. A empresa já anunciou um sistema que elimina qualquer contato na tela. O protótipo chamado de Mobile Surface identifica a proximidade e os movimentos das mãos para enviar comandos ao SO.

Os desenvolvedores vão além do esperado e fazem com que dispositivos da Apple interajam com equipamentos da Microsoft – eternas rivais do mundo tecnológico. O Connect, aplicativo da Amnesia Razorfish, integra o iPhone e o iPad ao Surface. Com uma rede Wi-Fi, um acelerômetro e um sensor de proximidade, o sistema consegue enviar e exibir imagens de um gadget para outro em tempo real. Clique aqui para acessar o artigo sobre o programa publicado pelo Baixaki.

Inovação caseira

Se você não aguenta esperar pela aparição destas tecnologias nas lojas, você pode adaptar o que você tem em casa para ter uma nova experiência com o seu computador. Você quer fazer um teste? Então confira a criatividade do jovem no vídeo abaixo: