Agora que o mundo está se acostumando com o reconhecimento de voz a partir de assistentes pessoais (Cortana, Siri e Google Now) e video-games (como o Kinect no Xbox One), a Microsoft está disposta a dar um passo adiante. O novo objetivo de uma das equipes de pesquisa e desenvolvimento da companhia é aprimorar as tecnologias de reconhecimento gestual e permitir que o ser humano interaja com dispositivos de uma forma mais natural do que nunca.

A ambiciosa ideia dos cientistas é fazer com que você possa lidar com objetos virtuais com a mesma complexidade com que pega um copo na mesa ao seu lado e põe ele na prateleira, por exemplo. O vídeo acima mostra testes em que, a partir de uma câmera no estilo Kinect, você move uma marionete, faz movimentos de DJ, controla outros dispositivos remotamente e por aí vai.

Isso até ajudaria a realidade virtual: muita gente sente que a experiência não é completa só com os óculos justamente porque não pode ver as próprias mãos, mesmo que feitas digitalmente. Isso seria resolvido de forma simulada em conjunto com os sensores.

Desafio aceito

A Microsoft trabalha em algo parecido com o sensor de movimento já utilizado no Xbox. Desta vez, a ideia é reconhecer as mãos da pessoa de forma precisa e detalhada, desde os mais suaves movimentos dos dedos.

A resposta háptica — que reproduz texturas e também a velocidade ou suavidade com que você executa um movimento — também tem sido trabalhada pela Microsoft. Isso ajuda a criar ainda mais a sensação de que você não está interagindo com algo "de mentira". Isso, porém é um dos passos mais demorados e deve levar mais tempo para ser finalizado.

A ideia é reconhecer as mãos da pessoa de forma precisa e detalhada, desde movimentos suaves dos dedos

Pensando um pouco mais com o pé no chão, a emprsa trabalha também em coisas mais cotidianas. O Project Prague, feito por uma equipe de Israel, permite a você montar uma apresentação de slides usando gestos. Confira:

Outro obstáculo é fazer com que todo esse processamento consuma o mínimo de energia possível para não disparar a sua conta de luz ou descarregar na hora a bateria do seu dispositivo.

Futuro em aberto

Por enquanto, as ideias da empresa relacionadas com reconhecimento gestual estão só em laboratório e não há qualquer previsão a respeito de aplicação. E a ideia da Microsoft não é só lançar produtos com essa inovação, mas abrir toda uma janela de possibilidades para outros desenvolvedores e até para quem fabrica TVs e dispositivos conectados via Internet das Coisas.

Cupons de desconto TecMundo: