A Akamai divulgou seu relatório periódico "State of the Internet", que avalia a infraestrutura de rede em mais de 200 países. Sobre velocidade de acesso, é possível ver que o Brasil ainda está longe de outros países desenvolvidos, contudo, quando comparado com outros países parelhos na América, ele não se sai tão mal.

De acordo com a Akamai, 0,5% das conexões brasileiras oferecem largura de banda suficiente para streaming 4K. Na América do Sul, os únicos países que têm uma taxa melhor são Uruguai (2,2%), Argentina (1%) e Chile (0,8%). Os campeões globais são os EUA (19%), seguidos pelo Canadá (14%).

Do outro lado da tabela, as piores conexões estão no Paraguai, com menos de 0,1%; e Bolívia e Venezuela, empatadas com 0,1%.

Os dados foram colhidos pela Akami no terceiro trimestre de 2014, e seu método de quantificação considera apropriada para o 4K qualquer conexão com velocidade de 15 Mb/s ou superior.

Aumento na velocidade

Já sobre velocidade média, a do Brasil no começo de 2014 era de 2,6 Mb/s, ficando atrás de países como Uruguai (5,5), Argentina (4,2), Chile (4,1), Peru (3,6) e Colômbia (3,4). EUA e Canadá lideram com 11,5 Mb/s e 10,3 Mb/s, respectivamente.

Mas há um pingo de sucesso para se comemorar. No final do ano, a média subiu para 2,9 Mb/s, o que significa que a infraestrutura de rede no Brasil está caminhando ao avanço — mesmo que a curtos passos. Vale também lembrar que a média global é de 4,5 Mb/s.

No topo do mundo em rapidez, a Ásia é expoente. A Coreia do Sul está em primeiro lugar, com uma média de 25,3 Mb/s, sendo que Hong Kong (16,3) e Japão (15) fecham o top 3. No ranking global, o Brasil ocupa a 90° posição.

Cupons de desconto TecMundo: