O torrent surgiu e revolucionou a forma como conhecíamos o compartilhamento de conteúdo na internet. Claro, ele foi feito com total base no P2P (peer to peer), o qual muitos já conheciam desde o Napster.

O compartilhamento de conteúdo de uma pessoa para outra se tornou popular e vários clientes e novos protocolos que prometiam melhorias apareceram. O torrent se destacou devido à sua facilidade incrível para compartilhamento, divisão de arquivos e organização de funcionamento, que permitem atingir velocidades ainda maiores.

Mesmo assim, ele pode ser prejudicial à conexão de sua casa e de muitos que utilizam o mesmo provedor. Saiba a seguir como usufruir de clientes torrent de maneira “saudável”:

O upload deve ser limitado

O “espírito” dos compartilhadores de arquivo já está no próprio nome. Ou seja, você também precisa fornecer para receber algo em troca. Mas você sabia que o envio de dados também prejudica a sua conexão? Se você é usuário assíduo de torrent, já deve ter reparado que a conexão às vezes fica lenta ao ponto de não abrir páginas simples, por exemplo.

Acredite se quiser, nem sempre a culpa disso é o fato de você estar baixando conteúdo, e sim, enviando. Se você não define um limite para o cliente torrent, ele vai usar o quanto puder da conexão para enviar conteúdo para outros computadores, o que causa lentidão em excesso em sua rede.

Internet devagar? O problema pode ser o upload.

Sendo assim, é importante que você defina o limite de um terço da taxa de upload máxima, tendo em vista a velocidade da conexão. Geralmente você pode saber a velocidade máxima de upload ao dividir o tamanho contratado por 16. Entretanto, nem sempre isso se aplica para todos os serviços de internet, então o melhor a fazer é conferir com o serviço contratado.

Ou seja, se você tem upload máximo de 100 Kb/s, o ideal é não permitir que seu cliente torrent passe dos 30 ou 40 Kb/s de envio, por exemplo.

Cuidado com as altas taxas de download

Regulamentação da velocidade.É unânime: quando se está baixando qualquer coisa na internet, todos querem ter aquilo o mais rápido possível. Entretanto, o que muitos não sabem, é que provedores de internet do mundo todo fazem campanha contra e até bloqueiam compartilhamentos P2P. Isso porque eles consomem muita conexão não só da rede de sua casa, mas de todos que usufruem de internet na sua região.

É por isso que vários provedores adotam o “traffic shapping” (ou limite de tráfego), que regulamenta uma quantidade de dados a ser baixados pelo seu computador. Depois de atingir esse limite de dados, a sua velocidade cai bruscamente.

Baixar aquele arquivo em menos tempo e ter uma internet que “se arrasta” pelo resto do mês nem sempre é o ideal. Assim sendo, é uma excelente ideia dividir melhor como você usa a conexão. Limite a velocidade dos downloads para taxas mais baixas para poder navegar com qualidade por mais tempo e não prejudicar ninguém.

Como limitar velocidades pelo uTorrent

Há duas maneiras de limitar o que você baixa no uTorrent. Uma maneira fácil é dar um duplo-clique sobre um item da lista e definir as velocidades de maneira individual. Porém, se você fizer isso, os próximos downloads não terão as limitações, pois é uma configuração temporária.

Definindo velocidades individuais.

Para definir permanentemente, vá ao menu “Opções” e clique em “Preferências”:

Definindo como padrão.

Na janela que aparece, clique em “Controle de Banda”. Agora basta definir qual a taxa máxima de upload e de download:

Definindo como padrão.

Novo protocolo do uTorrent

Pensando no limite de tráfego e no descongestionamento de conexões, o uTorrent começou com o desenvolvimento do BitTorrent 2.0 ou uTP (nome dado ao novo protocolo do programa). O que o novo protocolo faz é automaticamente limitar a banda utilizada nos downloads por P2P quando detecta que a rede está congestionada.

Novo protocolo.Isso faz com que haja quase um acordo entre os provedores de internet e os usuários, pois melhora o equilíbrio das conexões e ninguém precisa ser obrigado a ter a velocidade reduzida.

O único problema é que há boatos de que o novo protocolo dá preferência aos seus usuários. Ou seja, quem já tem o novo uTorrent 2.0 ganha prioridade no compartilhamento P2P. O resultado foi o banimento do cliente em várias listas de trackers privados.