Conceito de instituto de pesquisa de tsunamis em Bali/Indonésia.

Fonte da Imagem: DesignBoom

Depois do desastre que assolou a Indonésia em 2004, o governo local passou a se preocupar ainda mais com a segurança da população e decidiu instaurar um concurso para projetistas, buscando um edifício perfeito para o estudo dos tsunamis. O resultado apresentado pela empresa Solus4 é este que você está vendo: um edifício completamente fechado, que capta informações através de suas paredes externas e as converte em dados analisáveis para os pesquisadores no interior.

Sim, a ideia é que os pesquisadores estejam no local para visualizar o tsunami por dentro. Enormes painéis translúcidos permitem que dezenas de pessoas fiquem sentadas em um auditório, visualizando a chegada da onda e mecânica de fluídos no momento em que as águas passam pela construção.

Para que o edifício seja ainda mais ecológico, a geração de energia e utilização de recursos naturais é feita com base em tecnologia de ponta.

Conceito de instituto de pesquisa de tsunamis em Bali/Indonésia.

Fonte da Imagem: DesignBoom

A proximidade com a costa permite ao prédio produção de energia por meio das correntes de água e a distribuição para a comunidade local, e a parte superior da construção faz captação de água da chuva para ser utilizada nos estabelecimentos interiores do laboratório. A água do mar também pode ser utilizada (após tratamento para a retirada do sal) e é mais que suficiente para a manutenção das instalações.

Além de tudo isso, a água do mar mais profunda é recolhida e passa a circular próxima às paredes externas, de forma a promover um resfriamento natural do ambiente interno, e a cor branca reflete os raios solares diminuindo ainda mais a temperatura dos laboratórios.

Confira mais imagens do conceito apresentado pela Solus4 para o estudo de tsunamis nas imagens a seguir e responda: não dá vontade de seguir a carreira de pesquisador e ir morar em Bali?