Eis a ficção tomando formas cada vez mais verossímeis. (Fonte da imagem: Reprodução/Alexob)

Você conhece a nostálgica série Star Trek? Pois saiba que o teleporte usado pelos exploradores espaciais pode servir como “explicação” à primeira transmissão quântica de dados feita em um circuito eletrônico. Pesquisadores do Instituto Federal de Tecnologia de Zurique (ETH), na Suíça, conseguiram teleportar um pacote de dados de um lado a outro sem uso de “mensageiro” algum.

Em poucas linhas, e conforme explica Andreas Wallraff, professor de física do ETH, “o teleporte quântico pode ser comparado ao teletransporte visto em seriados de ficção como ‘Star Trek’”. Não há, nesse caso, a existência de um dispositivo mediador; a informação, na realidade, simplesmente desaparece e aparece em um outro local. “A informação não viaja do ponto A ao ponto B. Ela aparece no ponto B e desaparece no ponto A quando captada pelo ponto B”, complementa Wallraff.

Emaranhamento quântico

Mas como, afinal, a façanha foi realizada? Para que o pacote de dados fosse teleportado, o fenômeno conhecido como “entrelaçamento ou emaranhamento quântico” precisou se manifestar. Descrito por Einstein como “ação fantasmagórica à distância”, esse sistema consiste basicamente no seguinte: dois ou mais elementos ficam de tal maneira atrelados que um “elo mágico” acaba sendo formado.

Um "laço mágico" é criado entre os elementos. (Fonte da imagem: Reprodução/Wired)

Essa ligação fantástica faz com que as partes encantadas possam ser redirecionadas sem perda de conexão. Grosso modo, a leitura dos dados emaranhados de forma quântica só se mostra possível a partir da existência de todas as partes entrelaçadas. Isso dispensa o uso de qualquer mensageiro (como pulsos ópticos ou eletromagnéticos), possibilitando, assim, o teleporte (e não o envio, conforme se entende convencionalmente) do tal pacote de informação de um ponto a outro.

Um novo limite à computação

O experimento feito pelo ETH conseguiu teleportar o pacote de dados a uma distância de seis milímetros dentro de um circuito eletrônico – algo, até então, nunca feito pela física quântica. E que isso pode significar à tecnologia dos eletrônicos? Também conforme se pode ler no estudo, cerca de 10 mil “quantum bits” podem ser teleportado por segundo.

“O teleporte é uma tecnologia importante do futuro no campo do processamento quântico de informação”, diz Wallraff. Sobre a taxa de transferência, o professor explica que, “comparado às tecnologias de comunicação e informação atuais, o processamento quântico de informação tem a vantagem de oferecer uma densidade de dados maior. Em `quantum bits`, mais informação pode ser armazenada e processada de maneira mais eficiente que nos bits tradicionais”.

Cupons de desconto TecMundo: