As técnicas, que são totalmente opostas, possuem muito mais em comum do que pode parecer. (Fonte da imagem: Reprodução/Tor Kristensen (esquerda) e Matteo Mignani (direita))

Se você é um leitor assíduo do Tecmundo e se interessa por fotografia, é possível que já tenha lido o nosso artigo sobre a função dos histogramas. Naquele texto, falamos um pouco sobre as técnicas de fotografia Low Key e High Key, que possuem gráficos totalmente opostos e peculiares.

Criar imagens com esses efeitos não é difícil, porém exige certo conhecimento em fontes e técnicas de iluminação, além, é claro, do material correto. A técnica Low Key pode ser facilmente conseguida com materiais caseiros, porém é muito mais difícil conseguir uma foto com características High Key usando apenas a luz ambiente.

Afinal, o que é Low e High Key?

Fundo preto, sombras marcadas e contraste alto marcam a técnica Low Key (Fonte da imagem: Reprodução/Bada Bing)

Esses tipos de imagens podem ser considerados dois extremos da fotografia: a técnica Low Key se beneficia das sombras marcadas, das áreas escuras e da luz dura, enquanto para se criar uma foto do tipo High Key você precisa abusar da iluminação com luz suave, dos contornos invisíveis e do branco.

Com tanta diferença entre elas, é esperado que cada uma dessas técnicas de fotografia seja usada para um propósito diferente e é exatamente isso o que acontece. Low Key transmite um sentimento de tristeza, seriedade e mistério, enquanto imagens em High Key são alegres e passam a ideia de esperança e tranquilidade.

Imagens assim inspiram mais confiança e tranquilidade. (Fonte da imagem: Reprodução/Gonzalo Andrés)

Como criar esses efeitos

Para criar esse tipo de fotografia, é preciso uma produção prévia para obter a luz necessária para que o efeito fique correto. Normalmente isso é feito em estúdio mesmo, com equipamentos próprios para isso, mas é possível emular efeitos parecidos em casa, sem gastar quase nada.

Low Key

Por usar menos luz e se aproveitar das sombras, é mais fácil criar o efeito Low Key nas suas fotografias. O ideal é um ambiente totalmente escuro, ou pelo menos em grande parte. Um dos grandes segredos para se conseguir um efeito melhor é usar uma parede preta no fundo, ou o mais escuro possível.

Utilize um fundo preto e foco de luz pontual. (Fonte da imagem: Reprodução/Photo Extremist)

Não adianta estar totalmente no escuro se você colocar o seu modelo na frente de uma parede branca. Quando você acender a luz frontal para iluminá-lo, a parede atrás vai funcionar como um refletor, clareando o ambiente.

Além do fundo preto, o ideal é usar apenas uma luz, ou no máximo duas, criando sombras fortes pelo uso da iluminação dura (veja aqui o que isso significa). Posicione um foco de luz diagonal (de frente para o modelo, porém levemente afastado para o lado), e vá testando até conseguir o efeito que você quer.

Para objetos menores você pode usar um foco de luz superior e conseguir bons resultados. (Fonte da imagem: Reprodução/Ram Yoga)

A segunda luz precisa ser bem mais fraca, apenas para detalhar a silhueta. Esse foco precisa ficar atrás do modelo, totalmente escondido e, de preferência, vindo de baixo. Lembre-se de que, para um melhor efeito Low Key, você deve usar focos de iluminação pontual e direcionados, para clarearem apenas a área desejada.

High Key

Ao contrário da técnica Low Key, quando você fala em High Key está se referindo a abundância de luz, brancos estourados e poucas sombras. É obrigatório o uso de iluminação suave (veja aqui o que isso significa), portanto você precisa usar rebatedores ou difusores na frente das luzes.

Diferente de uma foto feita normalmente, na qual a iluminação é posicionada atrás da câmera, de frente para a cena, nesse caso você precisa ter luzes de absolutamente todos os lados. Como fazer isso sem estourar demais ou criar sombras múltiplas? A luz suave é a resposta.

Você pode adicionar filtros posteriormente para estilizar a sua fotografia. (Fonte da imagem: Cinnamon Girl)

Se você tem em casa uma janela bem grande ou a porta de uma sacada, você pode usá-la como o fundo da sua foto. Para suavizar essa fonte de luz, use um tecido branco cobrindo toda a extensão que vai aparecer na foto.

Se você posicionar um modelo neste cenário e tentar fotografar, vai ver que o máximo que você vai conseguir é uma silhueta, já que não existe equilíbrio de luz. Você precisa iluminar o seu modelo com o mesmo tanto de luz que está vindo do outro lado, usando sempre, obrigatoriamente, luzes suaves.

Para suavizar uma fonte de iluminação, você pode filtrá-la usando um tecido fino e branco ou papel de seda (cuidado para não colocar muito próximo da luz para não pegar fogo!) ou rebater em uma parede branca. Não use a lâmpada do teto para auxiliar, pois ela vai criar sombras. Outra dica importante é pedir para que os seus modelos usem roupas brancas ou claras.

Cores claras combinam mais com esse tipo de fotografia. (Fonte da imagem: Jeff Meyer)

Em um dia de sol, é possível conseguir um bom resultado ao ar livre se você conseguir filtrar toda a iluminação por meio de difusores, usando tecidos brancos de fundo para criar o visual desejado. É preciso ser criativo, usando materiais que você pode conseguir em casa e adaptando para a produção fotográfica.

Para o ajuste da máquina, abra o diafragma o máximo possível e use um tripé para poder criar uma superexposição a partir do tempo também. Não adianta nada ter um cenário completamente iluminado e fotografar no automático: é preciso deixar o obturador aberto mais tempo do que seria recomendado para uma fotografia normal.

Efeitos moderados

Se você gostou dessas técnicas, porém não quer um efeito completamente High Key ou Low Key, é possível utilizar os conceitos no dia a dia para aproveitar melhor as sombras e a superexposição no que você estiver fazendo.

Um efeito superexposto, porém contando com sombras e luzes duras. (Fonte da imagem: Reprodução/Daniel Zedda)

Por exemplo, a fotografia acima mostra uma modelo ao ar livre, com bastante sombra, porém com uma atmosfera suave e iluminação branca, remetendo bastante ao High Key. Para quem quer uma solução menos extremista, essa pode ser uma ótima alternativa.

Já a imagem abaixo mostra uma modelo que foi fotografada em ambiente aberto durante o dia, portanto com iluminação e sem um fundo completamente escuro. Porém, ainda assim a fotografia remete ao visual Low Hey, já que as sombras foram exploradas com esse intuito e o fundo foi escolhido de modo que absorvesse o máximo de luz possível.

Apesar de ter sido tirada de dia em ambiente aberto, as sombras dão um ar de foto Low Key. (Fonte da imagem: Reprodução/Ana Nemes)

Esses são apenas dois exemplos, porém é possível ver que, apesar de as técnicas High e Low Key serem bastante específicas, ainda assim é possível tirar proveito dos seus conceitos e aplicar isso nas fotografias feitas no dia a dia.

Cupons de desconto TecMundo: