Mesmo abrindo seus portões oficialmente em uma quinta-feira (3) de manhã, a Comic Con Experience 2015 não perdoou – ou desapontou – os fãs e deu início às suas atividades com uma bela dose de novidades sobre o mundo geek. Será que tem como falar desse universo sem mencionar quadrinhos? Se depender da galera da CCXP, a resposta é um sonoro “não!”, já que o responsável por estrear o Auditório Prime foi o painel do Social Comics, conhecido carinhosamente pelos aficionados pelo tema como o “Netflix das HQs”.

Ainda que o espaço reservado para a apresentação fosse bem mais humilde que o badalado Auditório Cinemark, os responsáveis pelas atrações reservadas para o local fizeram questão de trazer muita munição para gastar. Quem fez a introdução da atividade foi Marcelo Forlani, um dos sócios do site Omelete e dos idealizadores da convenção, que revelou que a plataforma de leitura e compartilhamento digital tem como objetivo fomentar a cena de quadrinhos nacionais e que, acreditando nisso, sua empresa investiu nada menos que R$ 2 milhões para trazer o sistema sob seus cuidados.

A partir daí, quem tomou controle do microfone foi Marcelo Cabral Bouhid, responsável pelo marketing do Social Comics. Para começar, ele comentou como o aplicativo se baseia em alguns pilares para levar as histórias em quadrinhos para um público mais amplo e de uma forma que não era possível de ser feita há até pouco tempo. Segundo Bouhid, para que uma empreitada como essa tenha sucesso, é preciso haver foco em relevância, com uma boa oferta de conteúdo para o público, e experiência, através de um app para os principais sistemas e com navegação fluida.

Para levar esses conceitos adiante, o executivo lembrou que, mesmo tendo cerca de três meses de vida, o Social Comics continua investindo em uma evolução constante de seu software, que já oferece leitura offline e layout aprimorado em sua versão 1.2, e expandiu consideravelmente seu acervo, crescendo tanto em número como qualidade e dando chance para que os consumidores curtam desde HQs independentes até material trazido em parceria com grandes editoras do ramo. A ideia é viabilizar da mesma forma o trabalho do grande autor e do independente em começo de carreira.

Avalanche de novidades

Para dar uma prova de que não estava brincando ou falando apenas da boca para fora, Bouhid abriu o jogo em determinado momento do painel e liberou os números que teríamos durante os quatro dias de convenção: cinco anúncios, 42 diferentes artistas, oito lançamentos especiais, duas baterias de avaliação de originais e portfólio e uma enxurrada de brindes e preços promocionais para os visitantes da CCXP. Muitas das novidades, claro, começaram ali mesmo, com destaque para as esperadas grandes revelações do dia.

Em primeiro lugar, ele explicou que, assim como o Netflix, o Social Comics passaria a investir em conteúdo exclusivo, trazendo tanto conteúdo criado por talentosos iniciantes, como Rafael Ramos com seu “Thera”, quanto de veteranos do segmento, sendo o caso de Eric Peleias com “Diário de um Super” e a dupla Douglas MCT e Glauco Silva com o antropomórfico “Edgar Alan Corvo”. Acabou por aí? Nada disso! O escritor Orlando Paes Filho, também vai levar sua obra máxima, Angus, para o mundo dos quadrinhos exclusivamente pela plataforma. Os títulos estão agendados para saírem ao longo de 2016.

Na sequência, revelou-se a publicação digital das primeira edições do Senninha, para revitalizar o personagem diante de “uma geração que não conheceu Ayrton Senna” e também uma série de parcerias com empresas locais. Por conta dessa estratégia, editoras nacionais como Aleph, Mino e Zarabatana vão poder lançar alguns de seus maiores sucesso em versões digitais, com os primeiros trabalhos já podendo ser conferidos na plataforma ou sendo agendados para o futuro próximo.

Outra novidade é a inclusão da norte-americana Dark Horse no pacote, que abre sua participação no serviço com a série de HQs mundialmente aclamada Umbrella Academy, fruto da dupla formada por Gerard Way – sim, o vocalista do My Chemical Romance – e o desenhista brasileiro Gabriel Bá. A inclusão do quadrinho vem no melhor momento possível, já que tanto o músico como o ilustrador estão na CCXP e podem entrar em contato direto com os fãs de uma boa leitura sobre heróis.

Histólias em quadlinhos!

Muita EMOÇÃO! Na CCXP - Comic Con Experience anunciamos nossa parceria com a Mauricio de Sousa Produções! E olha quem veio dar esta notícia INCRÍVEL pra vocês! <3

Posted by Social Comics on Quinta, 3 de dezembro de 2015

Seguindo aquele preceito que diz que o impacto é maior quando se deixa o melhor para o final, o executivo introduziu o último – e bombástico – anúncio com um clipe curto protagonizado por ninguém menos que Mauricio de Sousa, criador de Mônica, Cebolinha e companhia. Os primeiros exemplares da popular linha de personagens será Turma da Mônica no Cinema, que apresenta paródias de filmes e franquias de sucesso. Em seguida, provavelmente para o ano que vem, é a vez dos volumes do selo Graphic MSP, com histórias mais adultas, irem pelo mesmo caminho.

Questionado sobre os desafios e a adaptação do aplicativo para o mercado brasileiro, Bouhid explicou que o programa está em transformação ininterrupta. Além de possuir versões para Android e iOS, o app tem um edição para Windows Phone agendada e, de acordo com o executivo, recebe um grande update a cada três meses – garantindo que ele seja sempre intuitivo, fácil de usar e com recursos relevantes. É possível experimentar o Social Comics gratuitamente por 14 dias após um cadastro no site oficial da plataforma ou, se preferir, escolher um plano de assinatura que, atualmente, é de R$ 19,90 mensais.

Serviço

A Comic Con Experience ocorre de 3 a 6 de dezembro no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center, próximo a estação Jabaquara do Metrô. Para mais informações sobre a programação e regras do evento, visite o site oficial da CCXP e não deixe de conferir as notícias por aqui.

Cupons de desconto TecMundo: