De acordo com o levantamento da E-Consulting, o Índice do Varejo Online (VOL) – soma trimestral dos volumes de transações online de automóveis, bens de consumo e turismo através de lojas virtuais – mostra que o comércio eletrônico no Brasil deve movimentar cerca de R$ 63,9 bilhões em 2015.

O volume registra um crescimento de 20,34% em relação ao ano anterior. Segundo o estudo, um dos fatores que impulsionou os números do e-commerce brasileiro foi a consolidação das operações online de grandes varejistas. O levantamento revela que, entre as três categorias que compõem o índice, o bens de consumo é a classe mais promissora, representando em 49,7% do varejo online.

A previsão para este é que categoria cresça 42%, saindo de um volume de R$ 26,4 bilhões para R$ 32,2 bilhões. Uma das razões que ainda garante esta elevação é a aquisição de produtos mais caros e a disseminação das práticas de financiamento ao consumo online feitas por grande parte das operações de e-commerce.

Já o turismo online, que contempla 25,6% da fatia do VOL 2015, continuará na casa dos 19%, como no ano passado, porém com a expectativa de gerar R$ 17,6 bilhões frente aos 13,6 bilhões de reais movimentados em 2014. O destaque ainda são os programas de estímulo ao turismo interno no Brasil por parte do Governo Federal, além do crescimento do volume de viagens de negócios.

Por fim, está o segmento de automóveis, que envolve transações de carros, motos e peças. Para a categoria, com participação de 24,7%, no varejo online estima-se uma expansão de 6%. Por ser um setor maduro e que experimentou forte crescimento levam este nicho a apresentar uma evolução menos expressiva se comparada às demais subcategorias. O volume parte de R$ 13,1 bilhões para R$ 14,1 bilhões.

Cupons de desconto TecMundo: