Passageiros serão identificados por scanner facial (Fonte da imagem: Reprodução/Contato Radar)

A Receita Federal está preparando um sistema de reconhecimento facial que deve funcionar em todos os aeroportos internacionais do Brasil para identificar pessoas suspeitas de extrapolar a quota livre de importação de mercadoria. Com isso, a alfândega espera filtrar pessoas que deveriam estar declarando e pagando impostos pela bagagem extra sem que todos os passageiros de voos internacionais sejam parados.

O subsecretário de aduana e relações internacionais da Receita, Ernani Argolo Checcucci Filho, comentou que o processo de implantação não tem um prazo definido para terminar, pois depende da negociação com cada empresa aérea que opera voos internacionais no Brasil. “O objetivo é que as empresas aéreas passem os dados de seus passageiros — seus nomes e dados como volume de bagagem — para que a Receita cruze esses dados com outras informações levantando suspeitos”.

Checcucci Filho comenta ainda que não será preciso parar todas as pessoas em um scanner para identificá-las, processo que será realizado por câmeras posicionadas nas saídas das docas dos voos. Assim, todos os passageiros poderão ser identificados enquanto caminham e ter seus rostos cruzados com as informações dos passaportes.

Atualmente a quota máxima para um passageiro trazer mercadorias do exterior sem pagar imposto é de US$ 500 por via aérea e marítima. Por terra, o valor cai para US$ 300.

Cupons de desconto TecMundo: