Fonte da imagem: Google

A Google anunciou ontem (11 de janeiro), através do blog oficial do Projeto Chromium, que nos próximos meses o Chrome irá perder o suporte ao codec de vídeo H.264. Segundo a companhia, a decisão foi tomada com o objetivo de priorizar o uso de ferramentas com código de desenvolvimento aberto.

A partir desta decisão, o Chrome perde o posto de único navegador compatível com qualquer tipo de vídeo. O suporte do programa à reprodução de vídeos em HTML 5 ficará restrito a sites que utilizem os codecs Theora e WebM – o último deles desenvolvido pela própria Google e que, até o momento, só é usado de maneira substancial no YouTube.

Ameaça ao domínio do H.264?

Mais do que aquecer a guerra entre os codecs, o fim do suporte ao codec pode estimular a migração dos usuários do Chrome para outros navegadores. Isso porque, para exibir todos os vídeos hospedados na rede, agora será preciso possuir ao menos duas opções instaladas ou recorrer ao download do conteúdo que se deseja assistir.

Segundo o analista John Gruber, do site Daring Fireball, a decisão da companhia se mostra bastante arriscada. Justifica sua opinião ao afirmar que, enquanto o H.264 é um formato bastante aceito pela internet, o Theora e o WebM ainda abrangem uma fatia muito pequena de sites.

Completa dizendo que, se a companhia tomou a decisão com o objetivo de favorecer o uso de formatos abertos, não faz muito sentido continuar suportando o formato Flash. Segundo ele, o anúncio se trata mais de uma tentativa de aumentar a participação do codec proprietário da companhia do que uma forma de estimular o crescimento de iniciativas independentes.

Cupons de desconto TecMundo: