Produzir filmes é algo extremamente caro, principalmente quando estamos falando de superproduções americanas que são exibidas em cinemas de todo o mundo. Por isso, há todo um planejamento para que elas sejam suficientemente rentáveis e deem lucros de milhões aos estúdios – ganhos que precisam ser realmente altos para que compensem os custos de produção e de divulgação e só então enriqueçam os estúdios.

Sempre há riscos no ato de realizar filmes, alguns maiores e outros menores, é claro, dependendo da magnitude do projeto. A indústria cinematográfica produz cada vez mais continuações de obras bem-sucedidas ou que repetem fórmulas seguras e que, por isso, teoricamente possuem um retorno financeiro garantido. São os roteiros originais, as obras inéditas e as histórias originais que você provavelmente não conhece que normalmente correm os riscos maiores, justamente por tentarem apresentar algo de novo.

Quando um estúdio investe milhões na produção de um filme, é esperado que a película seja a mais rentável possível com muitos outros milhões de lucro. Infelizmente, não é sempre isso que ocorre. Hoje, nós vamos falar de filmes que tiveram orçamentos gigantescos com lucros decepcionantes para justificarem continuações ou serem considerados bem-sucedidos.

Mas, antes, vamos entender os cálculos

A listagem que fazemos aqui possui como base os dados do Box Office Mojo – o maior banco de dados de bilheterias da internet. Os números podem divergir de outros sites, já que algumas fontes não incluem os custos de divulgação e de marketing também – além do lucro das bilheterias mundiais. Outro ponto deve ser mencionado: alguns filmes não revelam os gastos exatos, porém valores aproximados. Por isso, não há como fechar números 100% precisos.

Usualmente, o orçamento se refere exclusivamente aos gastos de produção, enquanto o prejuízo leva em consideração a diferença entre o orçamento e as vendas das bilheterias em conjunto com o retorno de investimentos feitos em marketing. Por isso, não é difícil encontrar fontes com classificações diferentes, que consideram ou não os gastos de divulgação ao redor do mundo. E é por isso que os valores não são exatos, já que os custos de marketing não são publicados em totalidade e passam dos milhões. Tendo esse ponto esclarecido, vamos à lista:

10 – Pluto Nash (2002)

Orçamento: aproximadamente US$ 100 milhões

Bilheteria: aproximadamente US$ 7 milhões

Prejuízo: aproximadamente US$ 90 milhões

O filme foi lançado em 2002 e é estrelado pelo ator Eddie Murphy, trazendo cenas de ação e de comédia em um mundo futurista – mais especificamente em 2080. O lançamento não fez sucesso nos cinemas americanos e, por isso, nem chegou às telonas brasileiras, lançado diretamente em VHS. Além disso, o filme foi indicado a diversas premiações negativas, incluindo as Framboesas de Ouro de Pior Filme, Pior Ator, Pior Diretor, Pior Roteiro e Pior Casal na Tela.

09 – Stealth – A Ameaça Invisível (2005)

Orçamento: aproximadamente US$ 135 milhões

Bilheteria: aproximadamente US$ 75 milhões

Prejuízo: aproximadamente US$ 95 milhões

Esse filme de ação não foi capaz nem de conquistar os maiores fãs de aviação, já que foi considerado completamente irreal (algo negativo, quando o intuito da produção é pender mais para o lado da realidade), espalhafatoso e absurdo. Nem atores como Jamie Foxx e Jessica Biel conseguiram fazer com que o filme fugisse do fiasco. O enredo conta a história de um avião caça automatizado com inteligência artificial que passa a atacar pessoas e deve ser caçado.

08 – Sahara (2005)

Orçamento: aproximadamente US$ 160 milhões

Bilheteria: aproximadamente US$ 119 milhões

Prejuízo: aproximadamente US$ 100 milhões

Essa produção de ação possui nomes de peso no elenco, como Matthew McConaughey e Penélope Cruz. Com o roteiro inspirado no livro de mesmo nome, Sahara não foi bem-recebido pelos críticos, apesar de parte do público se entusiasmar com ele. Infelizmente, os gastos com a divulgação foram enormes e, somados às bilheterias que nem conseguiram pagar pelo custo da produção, trouxeram mais de US$ 100 milhões de prejuízo.

07 – Jack: O Caçador de Gigantes (2013)

Orçamento: aproximadamente US$ 195 milhões

Bilheteria: aproximadamente US$ 197 milhões

Prejuízo: entre US$ 86 e US$ 101 milhões

A superprodução em questão teve o intuito de readaptar a história clássica de João e o Pé de Feijão. A produção teve início em 2009, passando por alterações de roteiristas e de diretores durante o caminho. O filme não foi considerado ruim e teve críticas bem mistas – positivas e negativas. Contudo, os custos de divulgação ao redor do mundo foram gigantescos, levando ao prejuízo de milhões.

06 – R.I.P.D. – Agentes do Além (2013)

Orçamento: entre US$ 130 e US$ 154 milhões

Bilheteria: aproximadamente US$ 78 milhões

Prejuízo: entre US$ 90 e US$ 114 milhões

2013 não foi um ano bom para os blockbusters (três produções desse ano figuram entre os maiores prejuízos da história do cinema). R.I.P.D. – Agentes do Além foi tão ruim que no final de semana de estreia nos Estados Unidos obteve lucro equivalente a 10% do orçamento da produção. Como bem sabemos hoje, esse número não teve acréscimos muito significativos depois do lançamento mundial. Os altos custos de divulgação se mostraram um erro, já que R.I.P.D. – Agentes do Além não foi nem capaz de se pagar com o valor dos ingressos vendidos.

05 – O Cavaleiro Solitário (2013)

Orçamento: aproximadamente US$ 250 milhões

Bilheteria: aproximadamente US$ 260 milhões

Prejuízo: aproximadamente US$ 118 milhões

Esse filme da Disney traz Johnny Depp no papel de Tonto, um guerreiro nativo americano. A produção é ambientada no faroeste e traz boas doses de ação e aventura – aspectos isolados que são tidos como pontos positivos do filme. Somente US$ 29 milhões foram faturados na semana de estreia e, apesar de o filme ter se pago com as vendas das bilheterias mundiais, os gastos de marketing foram de quase US$ 150 milhões e não tiveram retorno suficiente.

04 – John Carter – Entre Dois Mundos (2012)

Orçamento: aproximadamente US$ 250 milhões

Bilheteria: aproximadamente US$ 284 milhões

Prejuízo: aproximadamente US$ 122 milhões

John Carter é outra superprodução da Disney que recebeu investimentos gigantescos e não teve público suficiente para gerar lucro. O filme estava entre as maiores apostas comerciais do estúdio, com milhões de dólares gastos em publicidade internacional. O fracasso foi tanto que o próprio presidente da companhia, Rich Ross, teve que pedir demissão do cargo. Apesar das críticas negativas e da má recepção, o filme estreou em primeiro lugar nos cinemas brasileiros.

03 – O Décimo Terceiro Guerreiro (1999)

Orçamento: aproximadamente US$ 160 milhões

Bilheteria: aproximadamente US$ 61 milhões

Prejuízo: aproximadamente US$ 129 milhões

Estrelado por Antonio Bandeiras, esse filme é inspirado no romance Easters of the Dead do autor americano Michael Crichton. Com elementos épicos e referências a clássicos como Beowulf e 1001 Noites, o enredo parece querer atingir um nível histórico e épico, porém isso jamais ocorre de modo bem-sucedido. Várias cenas foram regravadas no decorrer de dois anos para melhorar a montagem da obra. A equipe de produção foi gigante e verdadeiramente internacional (o que fez com que os custos subissem bastante) – inclusive, o filme possui diálogos em árabe, sueco, dinamarquês, norueguês, grego, latim e inglês.

02 – Marte Precisa de Mães (2011)

Orçamento: aproximadamente US$ 150 milhões

Bilheteria: aproximadamente US$ 38 milhões

Prejuízo: aproximadamente US$ 130 milhões

Essa animação da Disney estava entre as apostas de 2011. Contudo, as vendas das bilheterias foram tão baixas que o filme nem pôde se pagar. Apesar de o aspecto visual da produção encher os olhos, o enredo não foi capaz de agradar ao grande público. As críticas foram bem divididas, ressaltando pontos positivos da animação e negativos do roteiro. Devido à grande publicidade que a Disney sempre faz para os seus lançamentos, o prejuízo foi ainda maior.

01 – 47 Ronins (2013)

Orçamento: aproximadamente US$ 225 milhões

Bilheteria: aproximadamente US$ 150 milhões

Prejuízo: aproximadamente US$ 149 milhões

Como comentamos no início do texto, nessa listagem estamos levando em consideração os custos da produção dos filmes combinados com os de marketing ao redor do mundo para mostrar quais foram as obras que mais deram prejuízo. Apesar de algumas terem sido bem recebidas pelo público, elas não pagaram os demais custos de investimento em publicidade. Analisando-se por esse ângulo, o filme 47 Ronins foi o maior fiasco dos cinemas até o momento.

Com um prejuízo de quase US$ 150 milhões, o filme estrelado por Keanu Reeves não teve boas recepções no Japão, nos Estados Unidos e na Europa. As críticas foram bem negativas e a produção não foi capaz de entusiasmar o público com o enredo, apesar de possuir efeitos especiais de qualidade e boas cenas de ação.

E você, sabe de mais alguns fiascos da História? Esses filmes mencionados não são necessariamente ruins, porém certamente falharam em vender seus enredos e cativar a audiência. 

Cupons de desconto TecMundo: