O filme “Pacific Rim”, dirigido por Guillermo del Toro e que no Brasil foi veiculado com o título de  “Círculo de Fogo”, apresentou um novo patamar de qualidade visual quando lançado em meados de 2013.

O capricho máximo da produção cinematográfica é percebido quando um alienígena enorme luta contra um robô gigantesco no meio da cidade de Hong Kong — com toda a beleza e a perfeição que a computação gráfica moderna pode proporcionar.

Um vídeo divulgado recentemente mostra um bate-papo com a equipe da Industrial Light & Magic, companhia norte-americana subsidiária da Lucasfilm e especializada em efeitos especiais, que participou da produção do filme.

Conforme relatado pelos profissionais, a grande maioria das cenas do principal combate do longa-metragem foi criada do zero, ou seja, foram completamente elaboradas em ambiente virtual — apresentando diversas camadas de modelagem, textura, iluminação e efeitos visuais. Tudo isso para recriar os personagens, os edifícios, os veículos, as ruas e todos os outros elementos que compõem o cenário de maneira extremamente realista.

Ampliar (Fonte da imagem: Divulgação/Warner Bros.)

Alguns pontos foram verdadeiros desafios para o grupo, como a interação dos combatentes com outros objetos (incluindo o navio cargueiro que foi usado como se fosse um simples taco de baseball) e os efeitos das gotas de água espalhadas para todos os lados a cada passo dos gigantes que lutam debaixo de chuva.

Contudo, nem tudo nesse trecho do filme é obra puramente da computação gráfica. Por exemplo, a cena na qual o robô arrasta a cara do monstro para dentro de um prédio usou uma maquete construída com objetos em escala fabricados a partir de impressoras 3D.

Cupons de desconto TecMundo: