A Enterprise e sua tripulação estão de volta em uma nova aventura explorando as fronteiras mais distantes do espaço.

Comemorando os 50 anos de Jornada nas Estrelas – que foi criada por Gene Roddenberry inicialmente na televisão –, Star Trek: Sem Fronteiras é o 13º longa da franquia, e o terceiro da chamada Kelvin Timeline – seguindo a linha temporal inaugurada em 2009 pelo filme de J. J. Abrams.

Quem assume a nova produção é o diretor Justin Lin, que comandou a franquia Velozes & Furiosos do terceiro ao sexto filme. Na trama deste novo filme, a tripulação da Enterprise enfrenta um inimigo misterioso que testa a unidade da Federação.

O longa chega aos cinemas americanos no mesmo dia que começa a Comic-Con International de San Diego, criando um grande evento de celebração pelos 50 anos da franquia.

A crítica americana vem também elogiando bastante a produção, sugerindo que esta é uma obra que resgata o espírito aventureiro e divertido que marcava a série pioneira de televisão. No Brasil, o filme chega apenas no começo de setembro, mas você pode conferir abaixo comentários da imprensa estrangeira sobre o longa-metragem.

Críticas:

Desde a tripulação original, não sentimos uma sensação tão vívida de aventura e camaradagem” (Tom Huddleston, da Time Out).

Um retorno à diversão, e um retorno à forma para a nova versão de Star Trek. O 13º filme da franquia é também o segundo bom longa de número ímpar da série em seguida” (Chris Hewitt, da Empire).

O que é mais notável sobre este novo filme é o quanto ele se parece com a série original de TV de Gene Roddenberry, pelo menos em espírito” (Bill Goodykoontz, do Arizona Republic).

O roteiro injeta uma boa dose de humor, que é verdadeira à criação original de Gene Roddenberry, entregando nostalgia sem ser uma veneração inflexível” (David Rooney, do The Hollywood Reporter).

Este episódio se relaciona diretamente ao apelo da série original, dando ao fantástico elenco a chance de interpretar um com o outro em uma história simples. Não é exatamente audacioso, mas Sem Fronteiras satisfaz” (Russ Fischer, do The Wrap).

É um filme muito bem construído que entrega o que se espera dele, e que tem uma sensação retro muito agradável” (Owen Gleiberman, da Variety).

Não apenas conta com efeitos especiais de encher os olhos, como também tem um roteiro inteligente e focado nos fãs” (Stephen Whitty, do New York Daily News).

Um capítulo agradável e à moda antiga da nova série – com muita ação e diversão” (Rafer Guzman, da Newsday).

Apesar de ter parecido uma escolha contraintuitiva para assumir um filme Star Trek, (o diretor Justin) Lin está absolutamente no comando quando o filme se torna sobre os corpos e naves se movendo rapidamente através do espaço – o que é bem frequente” (Bilge Ebiri, do Village Voice).

Justin Lin prova ter mãos seguras no comando da Enterprise. Com um espírito de aventura e uma boa dinâmica de equipe, o filme é divertido, mas não essencial, de se ver nos cinemas” (Matt Maytum, da Total Film).

Star Trek: Sem Fronteiras

Curiosos pelo novo Star Trek? Deixe abaixo o seu comentário.

Via Minha Série.

Cupons de desconto TecMundo: