Capitão América: Guerra Civil, que estreia nesta quinta-feira no Brasil, é uma versão para os cinemas de uma famosa e popular minissérie dos quadrinhos da Marvel Comics que colocava heróis em lados opostos da Lei.

A produção cinematográfica deve ser bem diferente do material de origem. Isso porque, em primeiro lugar, são mídias diferentes: o filme deve respeitar o Universo Cinematográfico Marvel, enquanto os quadrinhos acompanhavam os anos de narrativas da Marvel Comics.

Além disso, não seria possível Capitão América: Guerra Civil apresentar todos os personagens da Marvel – sendo que alguns heróis estão sob licença de uso em outros estúdios. Em vez disso, o longa-metragem deve selecionar as figuras principais e concentrar sua história em conflitos mais pessoais.

Porém, a ideia geral de Guerra Civil será mantida a mesma: um acordo governamental de regulamentação da atividade dos super-heróis coloca Steve Rogers e Tony Stark em lados opostos, desencadeando conflitos entre os heróis.

A Guerra Civil nos quadrinhos

Nas HQs, um incidente envolvendo os Novos Guerreiros - que provocam uma grande explosão, sem querer, matando centenas de inocentes -, leva o governo americano a aprovar a Lei de Registro de Super-Heróis, que obriga qualquer pessoa com habilidades a revelar sua identidade e agir como uma força policial para as autoridades.

Tony Stark decide apoiar o programa depois de ser agredido pela mãe de uma criança que foi vítima da explosão. Mas Steve Rogers é contrário a essa decisão, dizendo que ela ameaça as liberdades civis, e em seguida foge das instalações da S.H.I.E.L.D. Assim, o Capitão América se torna um foragido, e, junto com outros heróis, forma um grupo de Resistência contra a Lei de Registro – os Vingadores Secretos!

Luke CageTocha HumanaMulher InvisívelDemolidor, Cable e Nick Fury ficam do lado de Steve Rogers contra essa tentativa do governo de controlar os super-heróis. Enquanto Homem-Formiga (Hank Pym), Homem-AranhaViúva NegraShe-Hulk, o Sr. Fantástico, entre outros, estão a favor da Iniciativa e ao lado do Homem de Ferro.

Como consequência da aprovação da nova lei, o Homem-Aranha Peter Parker decide revelar publicamente a sua identidade, tendo Tony Stark ao seu lado no momento do anúncio.

Enquanto isso, Reed Richards trabalha em um projeto com Tony Stark e Hank Pym chamado de Número 42 – uma prisão para super-humanos e vilões. Paralelamente, o Capitão América continua buscando aliados. Os Vingadores Secretos acabam sendo atraídos para uma fábrica, sem saber que se trata de uma armadilha da Iniciativa para colocá-los na prisão.

Os heróis entram em um grande confronto, que envolve diversos personagens da companhia. Nessa batalha, o Golias é morto por um clone robótico do Thor construído por Reed Richards e Tony Stark. Desiludida pelas ações do marido, a Mulher Invisível ajuda a Resistência a escapar.

Stark lança os Novos Thunderbolts para caçar os rebeldes, o que faz os vilões Polichinelo e Halloween espancarem o Homem-Aranha, que havia abandonado a Iniciativa. O Justiceiro resgata Peter e leva-o até a Resistência. Os Vingadores Secretos elaboram um plano para invadir o Edifício Baxter e salvar seus amigos da prisão.

A batalha final começa na Zona Negativa (Número 42) e passa para o centro de Nova York. O combate entre o Capitão América e o Homem de Ferro se intensifica. Porém, Rogers percebe que os heróis já não estão mais lutando por uma causa, e decide se entregar em troca de perdão. O Capitão América é preso, dando a vitória para Homem de Ferro e a Iniciativa.

Após a Guerra Civil nos quadrinhos

(Atenção! Os parágrafos a seguir revelam acontecimentos significativos dos quadrinhos da Marvel que ocorrem imediatamente após a minissérie Guerra Civil. Essas informações podem ser consideradas SPOILERS sobre as HQ’s e possivelmente sobre o futuro do Universo Marvel nos cinemas).

Após a conclusão da Guerra Civil, nos quadrinhos, Steve Rogers é levado a julgamento. Há uma extensa cobertura da mídia enquanto o herói é levado ao tribunal. As pessoas discutem a validade do julgamento, lembrando todos os grandes feitos heroicos de Rogers.

Porém, chegando ao julgamento, Steve Rogers é baleado e morto nas escadarias no Capitólio. O Capitão América estava sendo perseguido por Ossos Cruzados, que atira no herói à distância. É, no entanto, um tiro à queima-roupa em seu abdômen, disparado por Sharon Carter (que estava sob o controle mental do vilão), que leva o Capitão América a óbito.

A notícia da morte de Rogers repercute em todos. Os heróis consideram que o símbolo do Capitão América não pode morrer. Portanto, em seguida, quem passa a usar o traje do herói americano é Bucky Barnes (O Soldado Invernal), que já recuperou completamente a sua condição mental.

Mais tarde, nos quadrinhos, Steve Rogers foi ressuscitado e voltou a vestir o uniforme do Capitão América.

Confira também:

Capitão América Guerra Civil: veja o que os críticos estão dizendo!
Novas cenas do Homem-Aranha em vídeo de Capitão América: Guerra Civil
Guerra Civil: Soldado Invernal luta contra Homem de Ferro em cena

Cupons de desconto TecMundo: