(Fonte da imagem: Wired)

Cientistas financiados pela Darpa podem ter encontrado um substituto para as xícaras de café e energéticos usados para manter acordado um cérebro cansado. Um spray nasal contendo orexina A, hormônio presente naturalmente em organismos humanos, foi capaz de manter macacos cansados trabalhando da mesma forma que aqueles que haviam dormido normalmente.

Mais do que ajudar a combater os efeitos de uma balada no meio da semana, a descoberta pode representar grandes avanços no tratamento de problemas severos relacionados ao sono, como a narcolepsia. Segundo Jerome Siegel, professor de psiquiatria na UCLA e coautor do trabalho que descreve a novidade, o tratamento “é uma rota totalmente nova para aumentar a atenção, e o novo estudo mostra que ele é relativamente benigno”.

A nova droga pode servir como um substituto aos estimulantes, normalmente usados como forma de manter pessoas acordadas durante a realização de tarefas importantes. Embora sejam eficientes em combater os efeitos do sono, tais remédios são conhecidos por viciar facilmente e ter efeitos colaterais como o aumento da pressão sanguínea e mudanças súbitas de humor.

Mantendo o cérebro acordado

Durante os testes realizados pelos pesquisados, um grupo de macacos foi mantido acordado por períodos entre 30 a 36 horas. Em seguida, parte dos animais recebeu a orenixa A, enquanto nos demais foi aplicado um placebo constituído por uma solução salina. A próxima etapa do processo teve a participação tanto de símios descansados quanto daqueles que não dormiram em nenhum momento.

Os resultados mostraram que os macacos que haviam recebido o medicamento possuíam o mesmo desempenho daqueles que haviam descansado. Tomografias realizadas posteriormente não mostraram qualquer diferença no cérebro dos dois grupos. A orenixa A ainda apresentou a vantagem de não afetar os animais que tiveram períodos de sono considerados normais.

Substituto ao sono normal?

Apesar de considerar interessante a pesquisa de novas drogas, o Dr. Michael Tweary, diretor do Centro Nacional de Pesquisas em Desordens do Sono, alerta que as consequências em longo prazo da falta de sono natural ainda são desconhecidas. “Novas pesquisas indicam que não dormir o suficiente está relacionado com o aumento de doenças cardiovasculares e problemas metabólicos”, afirma.

Aqueles que são contra medicamentos como a orenixa A não devem se preocupar, ao menos atualmente. Antes que a droga possa ser vendida comercialmente, terá que ser aprovada pela FDA (Food and Drug Administration), processo que pode levar mais de uma década para ser finalizado.

Cupons de desconto TecMundo: