Muitas pessoas estão confortáveis com o mundo que as cerca. Pensar sobre os mistérios do universo e a maneira como os interpretamos pode se tornar uma tarefa completamente diferente se levarmos em consideração algumas teorias estranhas de como o universo funciona.

A observação muda o observado

Essa talvez seja uma das mais profundas constatações dos cientistas: quanto mais você observa uma coisa, mais diferente ela se torna aos seus olhos. Pesquisadores do Instituto de Ciências de Weisman realizaram um experimento em que atiraram elétrons em duas placas de metal, de forma aleatória.

Entretanto, em vez de os itens deixarem marcas dispersas ao longo da placa, o resultado obtido foram duas colunas verticais ordenadas. Qual é a explicação disso? Os cientistas também estão procurando por uma resposta.

Espaço vazio

Em termos tradicionais de como a matéria funciona, um átomo é 99,9999% espaço vazio. Isso acontece porque as partículas de um átomo se movem a velocidades quânticas e se movem de um lugar para outro do átomo. Ou seja, em um dado momento, devido ao movimento, quase todos os espaços ficam vazios.

Dessa forma, se os átomos são uma série de estados em potencial e nós apenas conseguimos perceber aquilo que é definido como estado, isso significa que um átomo não pode ser observado, ao menos não de maneira consciente. Isso parece louco o suficiente para você?

É tudo informação

Se levarmos em consideração cada um desses pontos, podemos chegar à conclusão que tudo é uma questão de dados. Átomos são apenas bits de informação programada, um conjunto de estados vazios que proporcionam infinitas possibilidades até que um observador, de maneira consciente, decida o que fazer sobre eles.

Nosso cérebro processa cerca de 400 bilhões de bits de informação por segundo, mas temos consciência de aproximadamente 2 mil. Quais serão os mistérios que os bits restantes escondem de nós? O que realmente está acontecendo lá fora que não é captado pela nossa percepção? É de se pensar.

Cupons de desconto TecMundo: