Cientistas têm trabalhado há 10 anos no projeto e já gastaram US$ 2 milhões (Fonte da imagem: Nature)

Uma esfera gigante, de 3 metros de altura, é a nova esperança da ciência para entender como funciona o núcleo da Terra. O projeto, que está sendo desenvolvido há 10 anos, na Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, já custou cerca de US$ 2 milhões e, agora, está prestes a entrar em funcionamento.

Quem vê aquela enorme esfera de metal por fora talvez não imagine que ela abriga uma esfera menor, de 1 metro, separada da esfera exterior por 13 mil quilos de sódio derretido a uma temperatura de 105 °C. Ambas as esferas são movimentadas por motores diferentes e, assim, são capazes de apresentar rotações independentes, semelhante ao funcionamento do núcleo da Terra.

Os cientistas esperam que, ao funcionar no começo de 2012, essa máquina possa criar e manter um campo eletromagnético, assim como acontece com o nosso planeta, e se tornar um grande dínamo. Se isso acontecer, o ser humano terá recriado, pela primeira vez, o funcionamento do interior da Terra e, dessa forma, o mecanismo poderá servir como modelo de estudo para questões sobre o núcleo do planeta.

Cupons de desconto TecMundo: