Pesquisadores criam sistema que ajuda robôs a rastrearem objetos

1 min de leitura
Imagem de: Pesquisadores criam sistema que ajuda robôs a rastrearem objetos
Avatar do autor
Como seres humanos, temos algumas vantagens adaptativas que nos trazem uma boa capacidade de se adaptar a novos ambientes, algo que não é tão desenvolvido em robôs. Por exemplo: se estamos segurando uma maçã e a fruta cair, poderíamos reagir esticando o braço para tentar pegá-la antes de tocar o chão. Numa situação dessas, pode ser que um robô tivesse uma reação totalmente diferente ou nem mesmo reagisse — tudo iria depender da forma como foi programado.
Com isso em mente, pesquisadores do MIT criaram um sistema que pode fazer com que robôs rastreiem objetos com mais facilidade e precisão. Chamado "TurboTrack", esse sistema irá funcionar com base em etiquetas RFID que, quando aplicadas a algum objeto, farão com que robôs possam rastreá-lo. Este sistema irá funcionar com um sinal wireless que será refletido pela etiqueta e enviado de volta ao leitor do robô. Utilizar etiquetas RFID não é algo exatamente novo – basta lembrar, por exemplo, dos leitores de códigos de barras de produtos em lojas e mercados -, mas a grande novidade aqui é o algoritmo utilizado pelos pesquisadores.
 
Neste caso, o algoritmo irá trabalhar filtrando os sinais até encontrar a resposta da etiqueta RFID, o que irá ajudar o sistema a encontrar a localização do objeto desejado com grande precisão. Segundo os pesquisadores, este sistema possui um bom potencial para substituir a visão computacional aplicada a tarefas robóticas específicas. De acordo com Fadel Adib, professor assistente e pesquisador principal no Laboratório de Mídia do MIT, utilizar o sistema RFID possui também vantagens econômicas, uma vez que as etiquetas custam apenas 3 centavos de dólar.
E tem mais: segundo ele, se sinais de radiofrequência forem utilizados para tarefas que seriam tipicamente realizadas com a visão computacional, os robôs podem adquirir a capacidade de realizar uma tarefa essencialmente humana e até mesmo super-humana. Na prática, esta tecnologia pode contribuir para evitar acidentes como o que ocorreu com a Amazon, onde um robô perfurou uma lata de um spray repelente de ursos e mandou dezenas de pessoas para o hospital. A novidade também pode ser utilizada para definir os padrões de voo de drones, incluindo até mesmo entregas com trajetos bastante precisos.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Pesquisadores criam sistema que ajuda robôs a rastrearem objetos