Mais vivo do que nunca: museu recria Salvador Dalí a partir de IA

1 min de leitura
Imagem de: Mais vivo do que nunca: museu recria Salvador Dalí a partir de IA
Avatar do autor

Ir a um museu para conhecer obras históricas pode ser uma experiência enriquecedora. Agora adicione a isso um artista importante apresentando parte de eventos de sua vida, mesmo que ele não esteja mais entre nós. Sim, pode parecer estranho, mas já é algo perfeitamente possível graças à Inteligência Artificial. Com essa tecnologia, o The Dalí Museum criou uma versão virtual e interativa de Salvador Dalí, que será exibida no espaço a partir de abril, em São Petersburgo, na Flórida, em homenagem aos 30 anos da morte do artista.

Nomeada como “Dali lives”, a experiência será possível a partir do trabalho desenvolvido pela importante agência de publicidade Goodby Silverstein & Partners. Sua equipe usou várias imagens de Dalí para treinar um sistema de machine learning – aprendizado de máquina – para obter diversas feições do lendário artista. Após isso, foi utilizada a polêmica técnica de “deepfake”, que consiste na troca de rostos de uma pessoa por outra. No caso, o rosto de Dalí foi “inserido” sobre o de um ator com tipo físico muito parecido com o do espanhol. Confira um dos vídeos com a experiência:

É inegável a extrema semelhança entre o clone virtual e o espanhol – compare com a imagem verdadeira de Dalí abaixo. Talvez a única parte estranha seja a sincronia entre a fala e os movimentos da boca da reprodução. Mas ainda assim é muito impressionante.

Fonte: The Dali Museum.

Para chegar a esse resultado, também foram gravados vários vídeos com o ator recitando monólogos, com relatos próximos a algumas falas de Dalí, e outros tipos de mensagens. Tudo isso será exibido em telas baseadas no tamanho real do surrealista, montadas no espaço do museu. Dizem que a arte torna um artista imortal, mas a tecnologia moderna também passa a ser encarregada de trazê-lo à vida de outras formas.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Mais vivo do que nunca: museu recria Salvador Dalí a partir de IA