A comunidade de medicina estética demonstrou preocupação com o aumento de pessoas que estão em busca de ficar parecidas com suas imagens filtradas pelo Snapchat ou outros programas de imagens com filtros corretores ou mesmo que alteram suas feições. O impacto social que esses recursos têm ainda é desconhecido por profissionais da saúde, mas já há alguma ideia do que ele pode causar.

Três cirurgiões plásticos lançaram um manifesto chamado “Selfies – Living the era of filtered photographs” (Vivendo a era das fotografias com filtro) onde alertam sobre o aumento da procura de intervenções médicas estéticas tendo em vista os filtros de embelezamento usados em aplicativos de smartphone. Isso causou o aumento de casos de transtorno dismórfico corporal, uma doença mental que envolve um foco obsessivo em um defeito que a pessoa considera ter na própria aparência.

Uma aparência que não existe

A ‘dismorfia de Snapchat’ faz com que pacientes procurem cirurgias plásticas para parecerem versões filtradas de si mesmos, com lábios mais cheios, olhos maiores ou nariz mais fino

A nova obsessão envolve uma pele uniforma e lisa, olhos ampliados, lábios mais cheios, nariz mais fino e tudo mais que alguns filtros de embelezamento fazem com o rosto das pessoas em aplicativos como o Snapchat e o Instagram. Pessoas já procuram cirurgiões plásticos especificamente com essa aparência em mente, o que tem espantado a comunidade médica e a deixado em alerta.

“A ‘dismorfia de Snapchat’ faz com que pacientes procurem cirurgias plásticas para parecerem versões filtradas de si mesmos, com lábios mais cheios, olhos maiores ou nariz mais fino”, escrevem os autores do manifesto. “Essa é uma tendência alarmante, porque essas selfies filtradas muitas vezes apresentam uma aparência inatingível e estão desfocando a linha de realidade e fantasia para esses pacientes”.

O termo já é de certa forma popular em alguns artigos de medicina e certamente vai exigir medidas educativas para prevenir a busca desenfreada por alterações corporais que são praticamente impossíveis de serem atingidas, como os profissionais mencionam. Até lá, vamos ver muita gente em busca de uma aparência utópica e, infelizmente, médicos que aceitarão o desafio simplesmente em troca de dinheiro.