O mundo amanheceu mais triste nesta quarta-feira (14) com a notícia da morte do físico teórico e cosmólogo britânico Stephen Hawking, um dos cientistas mais populares e celebrados de todo o século 20. Como não poderia deixar de ser, pessoas notáveis de diversas áreas, além de fãs anônimos, prestaram as suas homenagens ao cientista.

Outro pop star da ciência, o astrofísico estadunidense Neil deGrasse Tyson acredita que a morte de Hawking deixa um vácuo intelectual, mas não um vazio. “Pense nisso como uma espécie de energia de vácuo permeando todo o espaço-tempo que desafia a medida”, escreveu o cientista no Twitter.

O cientista britânico Brian Cox ressaltou a contribuição de Hawking não apenas para a ciência em si, mas também como inspiração para que muitas pessoas se interessassem pela ciência. “Suas contribuições para a ciência serão úteis enquanto houver cientistas, e há muito mais cientistas por sua causa”, escreveu. “Ele falou sobre o valor e a fragilidade da vida humana e da civilização, melhorando ambas de forma grandiosa.”

A NASA também não deixou a morte de Stephen Hawking passar em branco. Também pelo Twitter, a agência espacial dos Estados Unidos lembrou que os seus estudos abriram “um universo de possibilidades” que o mundo todo está explorando. “Que você continue voado como o Superman na microgravidade, como você disse aos astronautas da Estação Espacial em 2014”, desejou a agência.

Cientistas da Organização Europeia para Pesquisa Nuclear (CERN) também renderam homenagens ao colega. “Um gigante de nossa área nos deixou, mas suas contribuições imortais permanecerão para sempre”, registraram os pesquisadores.

A série de humor nerd "The Big Bang Theory" também prestou a sua homenagem ao cientista britânico. O perfil oficial do seriado no Twitter agradeceu a inspiração e relembrou a participação dele no programa. “Foi uma honra tê-lo em Big Bang Theory. Obrigado por inspirar a nós e ao mundo”, registrou.

Homenagens em Cambridge

Alma mater de Stephen Hawking, a Universidade de Cambridge também foi palco de diversas homenagens ao físico britânico, com a bandeira da instituição hasteada a meio mastro nesta quarta-feira como forma de luto pela morte de um de seus membros mais ilustres. No livro de condolências da capela do Gonville and Caius College, onde ele lecionou por mais de 50 anos, alunos e professores registraram o seu pesar.

“Era alguém extraordinário”, comentou à AFP o estudante de biologia molecular Edo Dzafic, 26 anos. “Ele incentivou as pessoas a sair de sua zona de conforto. É o que todos nós sonhamos fazer”.

Para Justin Hayward, aluno de Hawkings durante o doutorado entre os anos de 1991 e 1995, o professor foi uma grande inspiração. “Era divertido trabalhar com ele. Ele tinha um grande senso de humor”, comentou. “Ele contribuiu muito para desenvolver nossa compreensão dos resultados da relatividade geral. Era uma fonte de inspiração.”

Por toda a internet, milhares de anônimos, celebridades, cientistas renomados e organizações celebram a vida e o legado de Hawking:

Stephen Hawking nasceu em Oxford, Reino Unido, em 8 de janeiro de 1942 e se tornou doutor em cosmologia pela Universidade de Cambridge, onde posteriormente ocuparia o posto de professor lucasiano emérito, e um dos principais cientistas do mundo no campo da relatividade e da mecânica quântica. Diagnosticado com esclerose lateral amiotrófica (ELA) aos 21 anos, ele faleceu nesta madrugada, ao 76 anos.