A partir de agora, o Natural Cycles, um app que monitora a fertilidade feminina com a ajuda de algoritmos, pode ser indicado na Alemanha como um contraceptivo certificado, tanto quanto uma camisinha, uma pílula ou o DIU. É a primeira vez que um software é liberado oficialmente para esse fim e o método consiste em informar as mulheres qual é a probabilidade de elas ficarem grávidas.

Software usa base de dados de temperatura corporal para calcular quais são os dias propícios para o sexo desprotegido com menos chances de gravidez

O processo vai além do cálculo das famosas tabelinhas: durante a ovulação, os altos níveis de progesterona aumentam a temperatura corporal em quase meio grau Celsius. Com a medição diária, o aplicativo compara as leituras e guarda em uma base de dados, usada posteriormente para marcar o calendário.

Nos dias em que há menos chances mesmo com o sexo desprotegido, a data é grifada com a cor verde. Já quando a gestação é mais provável, a agenda fica vermelha. Vale notar que esse destaque serve também para quem pretende ter um bebê.

Mas atenção: o app pode não funcionar para todas

Ainda que a Natural Cycles venha lutando desde 2015 para ser certificada como contraceptivo oficial, especialistas alertam: “todo dispositivo que monitora o ciclo menstrual é falível porque as mulheres não ovulam de uma forma totalmente previsível”, comenta o médico Adam Balen, ao The Telegraph.

De acordo com o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido, sete de cada 100 mulheres que usam métodos como o do app engravidam, um índice comparável ao dos preservativos — pílulas, implantes e DIU registram um número bem menor, de uma para 100. A tecnologia, nesse caso, é mais recomendada para casais estáveis e pessoas que enfrentam alguma limitação com outros procedimentos.

Cupons de desconto TecMundo: