Desde o lançamento do navegador do Google, o Chrome, todos ficaram à espreita de que estaria por vir algo além de um simples navegador. Meses mais tarde, essas pessoas estava certas, e o Google havia anunciado que iria lançar o Chrome OS.

Recentemente foi disponibilizada para download uma versão do ChromeOS. Apesar do Google ter deixado bem claro que somente a partir da metade de 2010 irá disponibilizar o Sistema Operacional (em versão para netbooks), várias pessoas fizeram o download dela achando que seria uma versão de desenvolvimento do futuro Sistema Operacional do Google, porém isso não é verdade.

O site onde pode ser encontrada a suposta versão do Chrome OS, é na verdade um blog que utiliza serviços de hospedagem oferecidos pelo Google, e não a página de projetos do Google, a Google Code Project, a qual é utilizada pela empresa para publicar os novos projetos.

É falso!

E afinal, o que há naquele blog com o nome de "chromeoslinux"? Bem, como o próprio nome sugere, o que existe para download lá não é nada mais nada menos que uma versão Linux, desenvolvida a partir de uma ferramente da Novell, o Suse Studio. Essa ferramenta é reconhecida pela grande facilidade que ela oferece para criação uma distribuição Linux.

Vamos ver o que este fã maluco do Google pensa a respeito do ChromeOS, como ele imagina que seria o tão esperado Sistema Operacional da gigante Google, e o que essa distribuição tem a oferecer.

Iniciando o Sistema Operacional

O ChromeOS Linux possui a função de LiveCD, o que permite que o Sistema Operacional seja testado sem que qualquer informação no disco rígido do computador seja apagada ou modificada (a menos que você monte a partição e modifique alguma coisa por conta própria).

Tela inicial do LiveCD

Assim que a tela do LiveCD é carregada, já é possível encontrar uma prova que desmistificaria a possibilidade de que esta distribuição fosse realmente desenvolvida pelo Google: no canto inferior direito da tela aparece o ícone do Suse Studio, com as escritas “Built with Suse Studio” (“Construído com Suse Studio”). Ou seja, as possibilidades de que este seja o verdadeiro Chrome OS param aí.

Primeiras impressões

Assim que o ChromeOS Linux é iniciado, percebe-se que o gerenciador de ambiente gráfico que o Sistema Operacional utiliza é o Gnome (o mesmo utilizado pelas famosas distribuições Ubuntu e Debian). Porém, o Google anunciou que irá utilizar um novo gerenciador de ambiente gráfico no Chrome OS, desenvolvido pela própria empresa.

Primeiras impressões do ChromeOS Linux

Após o carregamento do sistema, uma janela de boas-vindas do navegador Chrome é apresentada, perguntando se você deseja fazer com que o programa seja configurado como browser padrão para navegação para internet. Seria um tanto estranho se o Google fizesse isso, não?

Menus e programas

Ao explorar o menu principal do programa, percebe-se que a distribuição não apresenta muitos aplicativos logo após a instalação padrão. Dentre os existentes, os que merecem destaque são Evolution, Pidgin, e OpenOffice. Também é possível perceber vários atalhos para serviços do Google, como por exemplo Google Reader, Google Calendar e Google Docs. É estranho ver o OpenOffice dentre os programas padrão, pois o Google possui serviços que podem substituir tranquilamente o OpenOffice.

Detalhes do menu principal


Outro ponto estranho é o fato da distribuição ser tão enxuta, com tão poucos programas disponíveis após a instalação padrão. Talvez tenha sido justamente esta a ideia do criado do ChromeOS Linux, pois como o Chrome OS verdadeiro ainda não foi lançado oficialmente, ele tentou fazer com que essa parecesse uma versão Alpha do Sistema Operacional, apresentando poucos recursos iniciais.

Considerações finais

O ChromeOS Linux é apenas uma distribuição desenvolvida a partir da ferramenta Suse Studio, a qual possibilita que uma distribuição seja facilmente criada. Não aconselhamos que você adote ela como uma distribuição principal, pois ela possui poucosLogo do Ubuntu recursos, e por enquanto não há como creditar devida estabilidade e principalmente confiança à ela.


Por hora ela pode ser considerada como uma brincadeira de um fã do Google.

Vale lembrar que para usuários novatos no Linux, a distribuição mais recomendada é a Ubuntu Linux, pois ela apresenta um grande número de facilidades, as quais tornam o uso dela muito mais fácil para iniciantes, além de uma grande comunidade que pode ajudar bastante em caso de necessidade de suporte.

Cupons de desconto TecMundo: