Anunciada pela Google durante seu evento I/O em 2016, a disponibilidade de apps do Android para o Chrome OS estava programada para acompanhar um grande produto: o Chromebook Pro, da Samsung. No entanto, tanto o novo recurso quanto o aparelho falharam em cumprir o prazo estipulado para abril deste ano e ainda não há indícios de quando eles vão ser disponibilizados oficialmente.

Ao que tudo indica, o principal responsável pelo atraso é a própria Google. Uma análise conduzida pelo The Verge em fevereiro deste ano mostrou que ainda faltava muito para que os aplicativos do Android rodassem em um estado aceitável no sistema operacional voltado a computadores.

Os apps estavam instáveis, quebrados, e a maioria tinha um visual ruim em telas grandes

“Os apps estavam instáveis, quebrados, e a maioria tinha um visual ruim em telas grandes. Olhando para os Chromebooks mais recentes, pouco mudou em todos esses sentidos”, afirma o repórter Dieter Bohn. Levando em consideração esses fatores  — e o anúncio recente de uma versão do Windows 10 feita para bater de frente com o Chrome OS —, faz sentido que a empresa tenha decidido dedicar mais tempo ao desenvolvimento do novo recurso.

Atraso não está relacionado ao Chromebook Pro

O adiamento deve permitir à Google trabalhar em um sistema baseado na versão Nougat do Android, o que resultaria na possibilidade de exibir aplicativos em qualquer tamanho ou formato de tela. O tempo extra também permitiria à empresa convencer mais desenvolvedores a adaptar seus códigos para abranger essa nova possibilidade de uso — algo que também beneficiaria alguns apps da própria Google.

Vale notar que, embora alguns apps do Android já possam ser baixados em alguns Chromebooks, o programa de adaptação ainda permanece em fase Beta. Aparentemente essa situação não está relacionada ao adiamento do Chromebook Pro — segundo um representante da Samsung, que não deu justificativas para o atraso, o gadget chega às lojas no outono deste ano (que acaba no dia 19 de junho).

Cupons de desconto TecMundo: