Na última quarta-feira (18), forças policiais parisienses realizaram uma incursão a um conjunto de apartamentos onde estavam escondidos outros integrantes da célula terrorista responsável pelos ataques do dia 13 de novembro. A descoberta do esconderijo foi possível graças a um celular descartado pelos extremistas durante as ações que deixaram cerca de 130 mortos e centenas de feridos na capital francesa.

Através do número IMEI do aparelho e do número IMSI que identifica todos os cartões SIM, a polícia foi capaz de levantar uma série de informações importantes, como os números com que aquele telefone entrou em contato, mensagens trocadas, etc. Outro dado vital para a ação conseguido no dispositivo foi sua localização prévia, graças a informações coletadas constantemente pelas redes celulares das operadoras de telefonia.

Com isso, a inteligência francesa foi capaz de delimitar o local onde o dispositivo havia permanecido nos dias anteriores ao ataque, estreitando as possibilidades a apenas alguns apartamentos no bairro parisiense de Saint Denis. Policiais então investigaram todas as construções na área até localizarem o apartamento onde pelo menos mais dez terroristas se escondiam.

Com as informações obtidas a partir dos registros do celular, a polícia de Paris acredita ter obtido uma série de dados preciosos a respeito da elaboração do ataque e, possivelmente, até mesmo de outras ações terroristas planejadas para o futuro. Os números e mensagens presentes no aparelho também servirão para localizar nomes e endereços de outras pessoas envolvidas com a célula extremista, expandindo assim a base de informações que a polícia pode usar em futuras investigações.

Você acredita que a tecnologia está tornando o mundo mais ou menos seguro? Por quê? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: