A crise econômica atualmente em vigor no Brasil está refletida até mesmo em um mercado que era considerado inabalável: o de smartphones. De acordo com o estudo Mobile Phone Monthly Tracker, realizado pela IDC, as vendas de celulares inteligentes registraram queda pela primeira vez no país.

Em abril de 2015, foram cerca de 4,86 milhões de aparelhos comercializados, 1% a menos do que no mesmo mês de 2014. Em maio, a queda foi bem maior: 16%, com 3,89 milhões de smartphones vendidos.

Para o segundo trimestre, os números preliminares mostram que as vendas devem cair 12% na comparação com o mesmo período do ano passado. A previsão era bem diferente da nova realidade: crescimento de 5%. A surpresa é ainda maior por conta de datas como o Dia das Mães, que costumam alavancar consideravelmente as vendas na área.

Tempos difíceis

A crise econômica que atualmente assusta o Brasil é tida como o principal fator da queda nas vendas. Isso faz com que o consumidor não tenha tanto dinheiro para adquirir aparelhos novos — que também não se ajudam e não estão nada baratos.

A alta do dólar fez com que modelos intermediários ficassem até R$ 60 mais caros, enquanto os tops de linha tiveram aumento de R$ 100 a R$ 200. Claro que a adoção de componentes mais modernos e outras funções (além dos bons e velhos impostos) também encarecem o valor, mas não dá para deixar o "fator crise" de lado.

Ainda de acordo com o estudo, os canais de varejo e de distribuição estão com estoque de produtos lotados, algo nunca visto no mercado nacional de smartphones.

Cupons de desconto TecMundo: