A maioria dos seus dispositivos possuem pequenos pedaços de metais raros ou preciosos, nós utilizamos essas partículas do tamanho de poeira para diferentes coisas, mas sua pequena envergadura não nos permite que elas sejam recicladas, já que o custo de fazê-lo é maior do que o valor do material. Apesar disso, se levarmos em conta o preço conjunto de todos estes metais, chegaremos a um valor astronômico.

Em uma matéria publicada na segunda feira na revista Chemical & Engineering News, um cientista de materiais da universidade de Sheffiekd Hallam fez uma matemática sobre a quantidade de materiais raros que nós utilizamos em nossos aparelhos, e quanto desses são vendidos por ano.

Cada celular tem uma média de 300 mg de prata e 30 mg de ouro. Apenas estes materiais utilizados para a produção anual de smartphones custam o equivalente a 2.5 bilhões de dólares.

O objetivo da matéria é reforçar iniciativas sobre a preservação do lixo eletrônico, como a construção de placas que são mais facilmente dissolvíveis para preservar o material. A alternativa, que tem sido realizada hoje em dia, é muito ruim. Este material é mandando para países de terceiro mundo, onde as placas são queimadas manualmente e trabalhadores catam os metais sobreviventes no processo, inalando uma série de fumaças tóxicas.

Cupons de desconto TecMundo: