(Fonte da imagem: Thinkstock)

Engana-se quem pensa que roubo e furto são os itens que mais afastam os donos de smartphones de seus aparelhos. Um levantamento realizado pelo Clube Pitzi — em um período que vai de setembro de 2012 ao mesmo mês deste ano — aponta que acidentes (quedas ou quebra de telas, por exemplo) ocorrem no Brasil com frequência três vezes maior que roubo ou furto.

“O celular é um aparelho de uso diário, com o qual se tem uma relação intensa. Isso faz com que ele esteja muito mais sujeito a acidentes típicos do cotidiano, como tombos”, explica o fundador da Pitzi, Daniel Hatkoff. “Proporcionalmente, roubo e furto têm impacto menor”, completa.

No ranking dos problemas que atingem os celulares, o mais comum é a queda do aparelho durante atividades cotidianas, resultando na quebra do display, com 44% dos casos pesquisados. Outros dois tipos de problemas são os casos de tela trincada porque algum objeto caiu no gadget (7%) e a queda dos aparelhos na água (também 7%), como ao levar o dispositivo para o banheiro. Travamento no sistema operacional também foi um problema frequente, presente em 20% dos casos.

Cupons de desconto TecMundo: