Smartphones para todos os gostos. (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Comprar um novo smartphone é um processo que requer um pouco de pesquisa. Embora você possa chegar a uma loja e escolher o primeiro modelo que alguém apresente a você ou que esteja em promoção, saiba que há grandes chances de você estar levando para casa um aparelho que não vai suprir as suas necessidades.

Da mesma forma, comprar o celular mais caro do mercado pode ser um investimento ruim se você não tem por hábito utilizar toda a capacidade do hardware e do sistema operacional. Em alguns casos, ter menos recursos é a escolha mais acertada e que melhor combina com o seu orçamento.

Listamos aqui alguns dos itens que você deve levar em consideração antes de fechar negócio e colocar no bolso o seu novo smartphone. Encare essas dicas como uma ferramenta auxiliar e não como regras rígidas que devem ser levadas ao pé da letra. No fim das contas, o que mais importa é ter em mãos um aparelho que supra as suas necessidades.

(Fonte da imagem: Divulgação/Apple)

O melhor sistema operacional

Esqueça o conceito de “melhor sistema operacional”. Na prática, isso não existe. A pergunta que você deve fazer é “Qual é o melhor sistema operacional para mim?”. E, para obter essa resposta, é preciso conhecer um pouco as características dos principais SOs disponíveis no mercado.

Tanto o iOS quanto o Android e o Windows Phone possuem interfaces muito acessíveis e que não trazem dificuldades no uso para ninguém. Nesse quesito, é recomendável ir até uma loja e mexer um pouco em um aparelho com cada SO para conferir de perto como será a sua familiaridade com o sistema.

O iOS, presente no iPhone, é estável e possui um grande número de aplicativos. Com ele, tudo o que você precisa fazer é começar a utilizar, já que não há muitas opções de personalização, sendo ideal para quem não quer se incomodar.

Já o Android permite maior personalização e, como cada fabricante e operadora podem incluir modificações na interface e nos aplicativos, é comum encontrar Androids “diferentes” dentro da mesma versão do SO. No caso do sistema da Google, o número de aplicativos gratuitos é maior.

O Windows Phone é o SO mais novo do mercado, mas tem uma utilização tão simples quanto os seus concorrentes. Pesa contra ele o fato de o sistema possuir poucos aplicativos em relação aos demais. Para quem busca personalização, ele também não é a melhor das opções.

(Fonte da imagem: Divulgação/Nokia)

Fuja das versões muito defasadas

Por quanto tempo você planeja manter o seu celular? Claro que, quanto mais, melhor. Entretanto, tenha em mente que nenhum aparelho na atualidade é construído para ter mais do que dois anos de vida útil. Depois desse período, o hardware estará defasado e o sistema operacional pode deixar de receber atualizações.

Portanto, fique atento à versão do SO que está presente no aparelho e pesquise antes se ele suporta atualizações. Com essas informações em mãos, some mais dois anos à data de lançamento da última versão que o aparelho suporta. O resultado não é exato, mas dá uma ideia de até em que ponto a vida útil do smartphone pode garantir uma utilização sem muitos problemas.

(Fonte da imagem: Divulgação/Samsung)

O que você espera de um smartphone?

Nem todo mundo tem condições de comprar o melhor aparelho do mercado e, cá entre nós, a maioria das pessoas não precisa de um aparelho que custe mais do que R$ 1,5 mil. Obviamente estamos falando de um sonho de consumo e pode parecer que quanto mais caro for o produto, melhor será para você. Mas não é bem assim.

Por isso, antes de escolher um aparelho, descubra primeiro o que você espera dele. Você vai executar os jogos mais pesados do mercado ou apenas baixar apps simples gratuitos? Você vai usar muitos recursos, como acesso à internet, câmera fotográfica e jogos ou apenas vai, basicamente, fazer e receber ligações e mandar mensagens de texto?

Se você precisa apenas de recursos simples, de nada adianta comprar um aparelho caro que, em suas mãos, terá a mesma utilidade que um modelo mais em conta. Por outro lado, economizar alguns reais antes e comprar um produto que não seja do seu agrado pode garantir a você aquela sensação de insatisfação, resultando na troca prematura de aparelho.

(Fonte da imagem: Divulgação/Sony)

Operadora: ela pode definir a sua compra

Antes de escolher qual aparelho você pretende comprar, pesquise qual será a operadora dele. Se você já tem um plano em alguma delas, saiba que isso pode significar descontos na compra de um produto e, por conta disso, seu novo smartphone pode custar menos.

Se você utiliza um plano pré-pago, pesquise ainda assim o preço das ligações nos planos mais em conta. Algumas operadoras fazem promoções de ocasião com aparelhos de fabricantes parceiras. Caso esse produto atenda as suas necessidades, você pode unir as situações e sair da loja com um belo desconto.

Por fim, se você está pensando em adquirir um aparelho top de linha, cogite a possibilidade de importá-lo. Em muitos casos, mesmo o valor do produto com impostos comprado nos Estados Unidos acaba saindo mais barato do que nas lojas brasileiras. Apenas fique atento a questões como a garantia, já que em alguns casos você pode ficar desamparado se algo acontecer.

(Fonte da imagem: Divulgação/Motorola)

Design e tamanho de tela

A indústria de smartphones se esforça dia após dia para colocar no mercado aparelhos cada vez mais finos. Entretanto, na prática não há muita diferença entre segurar um modelo com espessura de 6,2 milímetros ou 6,3 milímetros. Por isso, por mais que peso e espessura sejam itens a serem levados em consideração, não devem ser eles os fatores determinantes para a sua compra.

Já o tamanho de tela tem se tornado uma característica importante, em especial por conta da grande variação que existe na atualidade. É possível encontrar modelos com telas entre 3,5 polegadas e até quase 6 polegadas – o que pode parecer grande demais para muitos usuários colocarem o produto no bolso. O ideal é escolher aquela que melhor se adapta às suas mãos.

Por fim, sabemos que o design de um produto é capaz de agregar valor a ele. A Apple, por exemplo, afirma que boa parte do valor do iPhone se deve aos investimentos em pesquisa para se chegar ao formato ideal para o consumidor. Você pode até escolher o produto pelo design, mas procure aliar um formato de qualidade a um hardware compatível. Um celular bonito e fino não é necessariamente bom ou ideal para o manuseio.

(Fonte da imagem: Divulgação/Google)

.....

Informação nunca é demais

As dicas acima são essenciais para quem está pensando em comprar um primeiro smartphone. Para quem já possui um, nunca é demais relembrar. Entretanto, depois de definir qual será o seu próximo aparelho, procure mais informações sobre ele. Leia análises (no Tecmundo você encontra várias) e pesquise a opinião de usuários que tenham adquirido o produto.

É impossível garantir que a sua escolha será perfeita, afinal muitas coisas só é possível descobrir no dia a dia, à medida que você utiliza o produto. Porém, partindo do princípio que você está escolhendo um smartphone para suprir as suas necessidades – e não apenas porque ele está na moda ou barato –, certamente as chances de você acertar na compra são muito maiores.

Cupons de desconto TecMundo: