(Fonte da imagem: Reprodução/Pocketnow)

Conforme os smartphones evoluem, certos quesitos técnicos passam a ser destacados pelas fabricantes como forma de distinguir seus produtos da concorrência. Entre as táticas empregadas está investir em espessuras cada vez menores para os aparelhos, algo que, para muitos, virou sinônimo de design arrojado e evolução tecnológica.

Porém, será que essa batalha pela criação de aparelhos cada vez mais finos realmente está levando em conta o consumidor? Segundo Michael Fisher, do site Pocketnow, para que essa tendência consiga sobreviver, será preciso que as empresas levem em consideração alguns pontos bastante importantes.

Ele afirma que a diminuição exagerada da espessura pode fazer com que os smartphones se tornem algo cada vez mais frágil e incapaz de resistir a condições de uso diário. Embora empresas como a Samsung, HTC e Motorola estejam investindo na resistência de seus produtos, a impressão que ele tem é a de que a percepção que temos da durabilidade de um dispositivo tem tanto a ver com um marketing eficiente quanto com suas qualidades reais.

Fisher também expressa preocupações em relação à ergonomia dos aparelhos, que, segundo ele, cada vez mais passam a sensação de que estamos segurando uma “bolacha de água e sal de grandes dimensões”. Ele afirma que, caso as fabricantes insistam em diminuir ainda mais a espessura de seus smartphones, será preciso encontrar novas soluções de design que não prejudiquem tanto o conforto dos consumidores.

Para ler a opinião completa do repórter, basta acessar o artigo original no site Pocketnow (em inglês). E você, o que acha? Acredita que existe um limite para o quanto um aparelho pode ser fino ou acha que essa tendência de mercado ainda deve ser mantida durante os próximos anos? Não deixe de registrar sua opinião em nossa seção de comentários.

Fonte: Pocketnow

Cupons de desconto TecMundo: