O mercado de celulares passou por transformações drásticas na última década. Dos grandes e desconfortáveis telefones — tijolares — móveis que “apenas” faziam ou recebiam ligações, passamos por reduções tremendas de peso, implementação de telas coloridas, processadores mais poderosos e até mesmo versões super pequenas, que cabem na carteira, voltadas para os que preferem manter as coisas simples.

Atualmente, a tendência aponta para a centralização de todas as tecnologias nestes pequenos aparelhos. Navegar na internet, editar documentos, realizar vídeo conferências e muito mais já é possível, mas ainda não acessível para a maioria. Em um futuro breve seu celular poderá estar conectado a todos os aparelhos que o rodeiam, sem pagar caro por isso.

Xperia X1 - um dos modelos atuais que mais surpreendem

Com relação às tecnologias de comunicação e ligações, passamos por várias fases e padrões, tais como TDMA, CDMA, sendo a mais popular e utilizada atualmente a GSM. Mas afinal, o que significa esta sigla, qual é a tecnologia por trás dela e o que a torna tão atrativa para as empresas?

O significado de uma tecnologia

Nokia também fabrica modelos GSMDerivado de Groupe Spécial Mobile, hoje GSM significa Sistema Global para comunicações Móveis, em português. Ele é um derivado direto do TDMA (Time Division Multiple Access) que trabalha em uma faixa de frequencias também similar — de 900 MHz a 1800 MHz, contra 800 MHz a 1900 MHz do TDMA.

Nele, as chamadas são designadas a um determinado tempo dentro da frequencia, contando com a diferença de que a transmissão é toda criptografada, de modo a conferir ainda mais segurança ao processo.

Infelizmente, por utilizar os mesmos procedimentos de seu antecessor, sua capacidade para chamadas é mais limitada que no CDMA, que permite até dez em um mesmo canal dada a distribuição de códigos únicos. Mesmo assim, o desempenho real de ambas é praticamente idêntico.

Vantagens por quase todos os lados

O sistema GSM não fez tanto sucesso à toa, afinal ele é atraente tanto para os usuários quanto para as empresas. Os clientes que aderem ao padrão GSM têm a vantagem de poderem circular (com roaming, pagando taxas) pelos países mantendo a sua cobertura através da migração automática para outras operadoras.

Além disso, ainda podem realizar livremente as trocas de aparelhos (para quaisquer outros modelos GSM), mesmo assim retendo seus números de telefone graças à utilização de chips independentes, chamados de cartões SIM. Nestes mesmos cartões ainda ficam armazenados alguns dados, como agendas de contatos que podem ser importados para os aparelhos diretamente.

Idou - anova promessa GSM da SonyEricsson

Já as operadoras telefônicas encontram um mercado aquecido, com muitos fabricantes de equipamentos e, consequentemente, preços muito mais baixos na praça. Até mesmo os custos de manutenção e operacionais são reduzidos em virtude da concorrência. Não é a toa que ele é um padrão na Europa desde meados da década de 80.

Evolução constante

Um outro motivo para o sucesso do GSM foi a retrocompatibilidade: apesar de ter passado por transformações em seus padrões e implementações de novas tecnologias, todos os aparelhos que operavam pelo sistema GSM antigo continuaram normalmente nos mais novos.

O mundo inteiro está aderindo ao GSM

Junto com a evolução nos padrões, ainda foi inserido mais um método de comunicação rápido: o SMS. Também conhecidos como mensagens de texto ou torpedos, esta forma de troca de informações ganhou popularidade pela praticidade de envio e, acima de tudo, pelos baixos custos em relação às ligações convencionais.

Cobertura e utilização

Hoje o sistema GSM está presente em todo o território nacional e em boa parte do planeta. Os números de Julho de 2006 apontam para cerca de dois bilhões de usuários ao redor do mundo todo, sendo que 70 milhões desta fatia já realizaram a transição para o novo padrão de troca de dados, o 3G.

Em comparação, o segundo concorrente mais próximo (o CDMA) conta com apenas 220 milhões. É um número respeitável se nos atermos apenas a ele, mas frente aos dados GSM a situação é no mínimo desencorajadora.

Muitas operadoras que antes trabalhavam única e exclusivamente com a tecnologia CDMA (como a Vivo, por exemplo) tiveram que abrir espaço e aceitaram também o padrão GSM, dado o seu enorme sucesso.

A verdade é que tudo aponta para um desenvolvimento ainda maior desta tecnologia. Dificilmente alguma operadora irá abandoná-lo, portanto fique tranquilo com o seu aparelho e aproveite todas as novidades que aparecerem!

Cupons de desconto TecMundo: